O Principio da Vibração

          O principio da vibração é importante, pois que somente pela vibração pode-se transformar uma coisa em outra. Mudando-se a vibração uma coisa se converte em outra, constituindo-se isso uma ALQUIMIA que pode ser: normal ou mental.
Pela vibração é possível converter uma coisa em outra, o que não acontece por meio da polarização .
Pelo Princípio da Polaridade não é possível transformar a natureza das coisas.
Somente é possível alterar de intensidade, passar de um pólo a outro.
Mas, pelo Princípio da Vibração é possível transformar.
Podemos transformar um efeito sonoro em efeito luminoso.
Tudo dentro da criação pode ser transformado pela mudança de vibração.

          A literatura hermética é uma dádiva para aqueles que conhecem os segredos e uma tortura para aqueles que não o conhecem.
"Ao que tem, lhe será dado; e, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado".
Quando o estudioso de alquimia estiver preparado, ou seja, quando esgotarem suas possibilidades de estudos teóricos e práticos e os conhecimentos estiverem presentes em seu consciente e inconsciente, ele encontrará a figura de um mestre que o conduzirá ao caminho da sabedoria e iluminação, tornando-o um iniciado na arte sagrada podendo assim concluir a Grande Obra.
Este mestre pode se revelar na forma de anjo ou espírito.
Poucos foram os que encontraram um mestre vivo que lhes passasse os grandes conhecimentos, pois os alquimistas não revelavam seus segredos nem para seus próprios filhos, somente para os puros de espírito que estiverem preparados.
O estado de semiconsciência, necessário para obter o so nho ou visão é normalmente atingido após longas horas de concentração, meditando sobre os livros ou quando parado no laboratório esperando e observando as transformações dentro dos recipientes alquímicos.
Nos relatos do encontro com um mestre, normalmente este é um homem de meia idade, veste roupas simples, têm cabelos lisos e negros, estatura mediana, magro, rosto pequeno e comprido e não tem barba.
Estas são as características de Saturno, que é o "sujeito dos Sábios", o velho.
Podendo designar também a matéria-prima.

A Rosa Cruz Hermética e Alquímica

 



          A Rosa Cruz Hermética e Alquímica, e é um símbolo muito antigo e místico, nos quatro extremos da Cruz tem três símbolos alquímicos: Mercúrio, Enxofre e Sal.

          Também nos braços da cruz e um pouco para dentro tem quatro pentagramas, o circulo na parte superior do pentagrama representa o espírito, o primeiro triangulo a esquerda com o vertice para baixo e uma linha paralela na base, representa a terra, no outro triangulo com uma linha paralela na base, porém com o vértice para cima também a esquerda, representa o ar, o triangulo a direita do pentagrama, com o vertice para baixo, representa a água e o outro triangulo a direita com o vertice para cima representa o fogo, o pentagrama tem um significado místico muito profundo, é uma representação simbólica da própria rosa cruz, a parte inferior da rama descendente da cruz, esta dividido em quatro seçoes.

          Cada seção leva uma das cores de Malkut, do “Kabalistico” Arvore da vida. Essas cores são amarelo limão, oliva, rosa e negro. Por cima dessas quatro seções da rama inferior se encontra uma estrela de seis pontas, (o hexagama), que tem seis planetas nos seus vertices, abaixo a lua a direita venus; jupiter; saturno; marte e mercuio, e o sol no centro.

          O hexagrama foi considerado numa época como o mais poderoso de todos os símbolos, os planetas estão colocados na ordem de certos rituais Kabalisticos que eles representam.

          Os quatro raios longos que se estendem por detras da cruz simbolizam os raios da luz divina ou cosmica. Estes raios tem as letras I N R I, que de acordo com o frater Wittemans, são as iniciais de palavras latinas, “A Natureza é renovada completamente pelo fogo.” As letras dos raios menores representam as primeiras letras dos nomes resonantes usados pelos gregos e egipcios nas suas antigas escolas de místerios. As petalas da grande rosa sobre a cruz, que somam 22, representam as 22 letras do alfabeto Kabalistico Hebreu, as 12 letras exteriores, representam os signos do zodiaco, as 7 petalas, ou letras mais adentro representam os 7 planetas e as 7 letras duplas do alfabeto kabalistico, enquanto que as três petalas interiores, ou tres letras mães, representam o ar, o fogo, e a água. As quatro projeções por detras da pequena rosa cruz são as pontas da cruz de Malta.Esta também é muito rica no significado simbólico. Logo, como é na tural, a rosa cruz com suas cinco pétalas em todo o centrro da grande cruz.

          Esta grande e magnifica rosa cruz simboliza toda majestade, poder, beleza e proteção que oferece A Grande Fraternidade Branca. A Rosa Cruz Hermética e Alquímica é um importante símbolo oculto. Ela representa a Grande Obra do Adepto. Ela é chamada de "A Chave dos Sigilos e Rituais". A Rosa Cruz Hermética e Alquímica tem 22 pétalas em três anéis, com um outro símbolo de urna Rosa-Cruz em seu centro. A Rosa Cruz central tem uma Cruz Dourada feita de seis quadrados, com uma Rosa Vermelha de cinco pétalas em seu centro. As três pétalas centrais da Rosa de 22 pétalas correspondem aos elementos mágicos do fogo, água e ar, e estão escritas nelas as Letras Hebraicas que correspondem a estes elementos. A segunda carreira de pétalas corresponde aos Sete Planetas e nelas estão escritas as Letras Hebraicas que correspondem a eles. A carreira exterior de pétalas corresponde aos Doze Signos Zodiacais e nelas estão escritas as Letras Hebraicas que correspondem a eles. As pétalas tem a cor da Escala do Rei, que é atribuída aos vinte e dois Caminhos da Árvore Kabalística da Vida. A Rosa no centro da Cruz representa Tiphereth, a sexta Sephira na Árvore da Vida. que é o receptáculo das forças Sephiróticas da Arvore.

         "O que a Deus Pertence homem algum jamais poderá usurpar."

          A Fraternidade Branca se perpetuou até os dias atuais. E já não mais existe a necessidade de ser manter secreta.
A Rosa Cruz Hermética e Alquímica, conforme vista acima, representa toda a majestade, a beleza e a proteção da Fraternidade Branca.
O simbolismo é evidente: foi na desaparecida Atlântida que pela primeira vez um Mestre abrindo seus braços para saudar o Sol - o Duplo Maravilhoso de Deus e Doador da Vida - notou que sua sombra formava no solo uma cruz.
Por sua vez, a Rosa, a mais sublime e mística de todas as flores, também já era objeto de adoração naquele continente e depois no Antigo Egito.
E assim como a rosa física necessita de luz para sobreviver, a Rosa Espiritual necessita da Luz do Espírito para evoluir.
Deus, na sua Imensa Sabedoria, também colocou no centro do corpo do homem (a Cruz) uma Rosa Espiritual - o coração e por síntese a essência da alma - que nasce "fechada" e deverá, quando ao término da sua existência na matéria, partir rumo às esferas superiores, a outros planos mais sublimes e elevados, já então plenamente desabrochada.

 



Nota: Cosmogonía pode também ser vista em seu emblema hermético, porque a cruz (símbolo masculino) simboliza a energia creativa divina que fertiliza a matriz escura da substância fundamental (simbolizada pela Rosa, feminina) e faz a passagem do universo a existência.