sintonia
Site é Dedicado à  Salvadora Bodhisattva Tara
A Transmissão das 21 Tares



PRATICA DE KHADIRAVANITARA

NAMO GURU ARYA TARAYE! 
Eu me prosterno para Tara, cujo pensamento dissipa o anseio. Com grandes nuvens de jóias das sadhanas e permissões-bênçãos de suas vinte e uma manifestações, vou descrever os benefícios e felicidades que as pessoas afortunadas desejam.
A cerca de uma jarda (0,914 m) de suas sobrancelhas, levemente elevada, visualize uma vasta terra pura de Buddha, que é espaçosa e coberta de belíssimas coisas. No centro há um lago, pleno de água que não é uma água comum, mas de uma maravilhosa substância de excelentes qualidades que podem satisfazer aos deuses. Todas as plantas e flores ao redor do lado  não são comuns, mas feitas de jóias, prata e preciosas gemas e outros materiais preciosos. Uma transcendente flor de lótus aparece do lago, e suspenso sobre as suas pétalas abertas há um brilhante disco de lua cheia. Sobre o disco há um trono quadrado, sustentado por oito leões das neves, sobre o qual se senta o seu principal mestre, que aparece na forma de Tara. Você, na sua forma normal, está em frente dessa terra pura. À sua direita está o seu pai; e à sua esquerda a sua mãe. Na frente estão os seus inimigos. Atrás estão os outros seres sencientes que já existiram, todos na forma humana. Todos estão reunidos diante deste grande campo de Buddha para a acumulação da virtude que é corporificada no Buddha Tara.
Refúgio
(Recite sete ou mais vezes)Eu e todos os seres, seres sencientes iguais aos limites do espaço, desde este tempo até que a essência da iluminação esteja alcançada: Tomamos refúgio nos gloriosos, sagrados gurus. Tomamos refúgio nos perfeitos Buddhas, transcendentes e realizados conquistadores. Tomamos refúgio nos sagrados Dharmas. Tomamos refúgio nas nobres Sanghas. 
Ao completar a recitação, deixe nascer o pensamento de que você foi até Tara para proteger-se. Raios de luzes se irradiam de você, tocando cada um dos seres ao seu redor. Esta luz purifica todas as suas obscuridades e dificuldades, e cada um deles atinge o estado de realização de bodissattva, sendo colocados no caminho da iluminação e indo para a terra pura. Você permanece diante do Buddha Tara, que agora se dissolve, a partir do topo do ornamento de sua cabeça, indo para baixo até a base do trono de lótus, transformando-se numa bola de coruscante luz que se dirige ao topo de sua cabeça e desce através de todo o seu corpo, até o seu coração. Essa luz, que é a materialidade do corpo de seu bondoso guru (seja seu guru-raiz, aquele diante de quem você recebeu a iniciação; ou outro guru, com quem você sente uma grande conexão) e o Buddha Tara se misturam com sua mente, unindo-se de modo indistinguível e você experimenta a completa unicidade de sua mente com o Guru e com o Buddha Tara. Repouse nesta experiência de vacuidade de todos os fenômenos por um pequeno momento. (Geração de bodhicitta pela recitação dos seguintes versos, três vezes): 
Pela salvação de todos os seres vou atingir o estado de um perfeito Buddha; com este propósito meditarei em Jetsun Tara.
Instantaneamente apareço claramente como Jetsun Tara; no meu coração está 
a sílaba TAM



pousada sobre um disco de lua. Dela partem raios de luz convidando Arya Tara do seu reino natural, cercada de uma assembléia de Buddhas e Bodhisattuas.
 OM VAJRÁ SAMAJÁH  
(“OM, a vajra assembléia!”mudra de invocação)Oferecer prosternações com:
NAMO GURUBHYAH OM ARYA-TARA-SAPARÍVAREBHYAB (“Prosternações aos gurus, om, e para Tara com sua comitiva!”)Imagine um vastíssimo arranjo dos mais belos oferecimentos que saem de sua mente [no coração].
 OM GURU ARYA-TARA-SAPARIVARA ARGHAM PADYAM PUSHPE DHUPE ALOKE GANDHE NAIVEDYE SHABTÁ PRATICCHA AH HUM (“Om, elevado guru Tara com sua comitiva, aceite esta água para lavar-se, para beber, flores, incenso, lâmpadas, perfumes, comida e música ah hum”) A seguir a prece de sete ramos onde cada ramo se torna muito meritório acumulando mérito e eliminando obstáculos. Recite três vezes.
Nas três jóias eu tomo refúgio e confesso todas as ações nocivas individualmente. Rejubilo-me com todas as atividades virtuosas de todos os seres e imagino a iluminação de todos os buddhas. Tomo refúgio no Buddha, Dharma e excelente Sangha até alcançar a iluminação. Para conseguir o meu próprio e o objetivo dos demais, desenvolvo a Bodhicitta. Tendo produzido a Bodhicitta, convoco todos os seres como meus convidados. Pratico a excelente e agradável conduta da iluminação. E dedico estes méritos para todos os seres a fim de atingir a iluminação.
Cultive os quatro incomensuráveis pensamentos de ilimitado amor, ilimitada compaixão, ilimitada benevolência e ilimitada equanimidade.
 Possam todos os seres ter felicidade e causa de felicidade. Possam eles estar livres do sofrimento e da causa do sofrimento. Que nunca se separem da bênção de estar livres da aflição. Que vivam em equanimidade, livres de apego e aversão aos próximos e distantes.
VAJRA MUH 
(A assembléia parte para o seu lugar de origem.)  Tara também se dissolve em cima de sua cabeça, ou retorna para a sua terra pura. 
OM SHUNYATA JNANA VAJRA SVABHAVÁ ATMAKO HAM
(“Om, eu sou a verdadeira síntese da natureza vajra, o despertar da vacuidade!")
De um estado vazio aparece um lótus nascido de PAM e um disco de lua nascido de um A, acima do qual está a minha própria mente como a sílaba verde TAM 
 Raios de luzes brilham a partir desta sílaba fazendo oferecimentos aos árias e assegurando o bem-estar dos seres sencientes. Os raios retornam e convergem à sílaba. Desta completa transformação, eu apareço como Jetsumma Tara do Bosque da Acácia (Khadiravani Tara), o corpo verde, com uma face e dois braços. Minha mão direita está no mudra da perfeita generosidade, segurando um vaso cheio da amrita da imortalidade na sua palma. Minha mão esquerda segura o caule de um lótus azul na altura do coração, com o anelar e o polegar, lótus que desabrocha próximo do seu ouvido. Metade de meus cabelos caem livremente; a outra metade está atada em cinco ornamentos. Sou pacífica e sorridente, no completo desabrochar da juventude. Estou adornada com ornamentos de seda, e todas as devidas jóias, e sentada na postura da facilidade, com a perna direita levemente estendida e a perna esquerda dobrada. Tenho uma aura de luz lunar ao redor de minha forma. Na minha  testa está OM, na garganta AH, e no coração HUM. Do HUM do meu coração brilham raios de luz, convidando a todos os Buddhas e Bodhisattuas das dez direções na forma da venerável Tara.
 OM VAJRÁ SAMAJÁH 
(Om, a assembléia) (Vajra mudra do chamamento) 
JAH HUM BAM HOH 
(Aproxime-se, dissolva-se, mergulhe, alegre-se) (Mudra do gancho, do laço, da cadeia, e do abraço) Os deuses-abhisheka, os Buddhas das cinco famílias aparecem no céu em frente.
OM VAJRÁ SAMAJÁH 
Eu suplico aos Tathagatas que me concedam abhisheka! (Depois desta súplica eles respondem:)
Logo que um Buddha nascia / Os devas o banhavam,/ Assim também agora, com esta pura água celestial / Da mesma maneira nós o ungimos.
OM SARVÁ TATHÁGATA ABHISHEKATA SAMAYÁ SHRIYE HUM 
(Om todos os Tathagatas concedem a transmissão de poder, o glorioso samaya, hum). 
Tendo dito isto, eles conferem abhisheka sobre mim, colocando seus vasos sobre o topo de minha cabeça, enchendo meu corpo, e purificando corrupções. O excesso de água sobe sobre minha cabeça, e desta aparece Amitabha na vestimenta de Nirmanakaya para coroar o topo de minha cabeça. 
Como um vaso vazio meu corpo é preenchido, removendo-se todas as obscuridades. Quando o néctar transborda, o vermelho Buddha Amithaba, o Buddha da Ilimitável Luz, do tamanho de minha mão, torna-se a coroa ornamental de minha cabeça. Ele aparece como Buddha Amithaba, mas na realidade é meu Guru-raiz. Faça oferecimentos com os mudras enquanto recita:
 Om arya Tara saparívira argham praticcha svaha. 
Om arya Tara saparívira padyam praticcha svaha. 
Om arya Tara saparívira pushpe praticcha svaha.
Om arya Tara saparívira dhupe praticcha svaha.
Om arya Tara saparívira aloke praticcha svaha.
Om arya Tara saparívira gandhe praticcha svaha.
Om arya Tara saparívira naivedye praticcha svaha.
Om arya Tara saparívira shabtá praticcha svaha.
 (Recite uma só vez:) 
As coroas dos devas e assuras se curvam diante de seus pés de lótus. Eu me prosterno para vos, mãe Tara, libertadora de toda pobreza.
Deusas de oferecimento trazem oferendas para todos os Buddhas e para mim como Tara. Depois disso, os deuses abhisheka se dissolvem em luz e retornam para seus próprios lugares. A guirlanda de mantra ao redor da silaba TAM no meu coração. Raios de luzes brilham a partir daí, fazendo oferecimentos aos árias e assegurando o bem-estar dos seres sencientes. Toda compaixão, bênçãos, energia e poder dos Buddhas e Bodhissátuas são recebidas sob a forma de raios de luzes e reabsorvidos em mim, abençoando a corrente da minha consciência. 
Meu corpo é o Buddha Tara, transparente, como um holograma. No meu coração há um disco de lua plano, sobre o qual está a letra TAM, circundada pelo mantra-coração que está em pé e não gira. Todas as letras são verdes. À medida que recito o mantra, luzes de arco-íris se irradiam das sílabas, fazendo deliciosas oferendas aos Buddhas e bodhishattvas de todas as direções. As luzes retornam, contendo todos os seus poderes e qualidades, e são reaborvidas dentro do TAM em meu coração. As luzes saem outra vez, tocando e liberando todos os seres sencientes, e estabelecendo-os no estado de budeidade. Este processo é contínuo enquanto recito o mantra.


OM TARE TUTTARE TURE SOHA
(Om, rápida, eliminadora do medo, libertadora, soha) 
Abençoada, eu Vos suplico, conceda sem exceção todos os siddhis comuns e extraordinários, a mim e a todos os seres sencientes! 
Raios de luz brilham do meu coração, e meu assento toma a forma de raios de luz que são absorvidos em mim. OM na minha testa, AH na minha garganta e HUM no meu coração 
 Quando os raios de luz tocam o assento de lótus, a mandala da lua, sobre a qual você está sentado/a, isto se dissolve e é absorvido em você. Os ornamentos da coroa, colares, braceletes, trajes de seda e a flor de lótus que você segura - todos se dissolvem em luz, sendo absorvidos em você. Você fica nu/nua, marcado/a apenas com as três sílabas OM, AH, HUNG. Relaxe sua mente, sem pensamento, na percepção dessa forma, ou de você-mesmo na sua forma normal. Permaneça nesse estado o maior tempo possível. Então dele se levante outra vez na forma da deidade. Conclua com a dedicação da virtude: 
 Por esta virtude que eu possa rapidamente realizar Tara e que todos os seres sem exceção sejam colocados no mesmo estado! 
Recite estas preces das bendições auspiciosas: Rejeitando as falhas do corpo, Ela possui as marcas grandes e menores; rejeitando os erros da fala, sua Voz é como a melodia do pássaro kalapinka; rejeitando as falhas da mente, Ela compreende todas as coisas infinitas; Auspiciosa, Gloriosa, Resplandecente, que nasçam as boas condições!
REZAS DE LONGA VIDA
Palden tsawei lama rinpoche / Dag gi chi wor pemei den sug ne / Kaadrin chen poi gone je sung te / Ku sung tug kyi ngö drub tsal du sol
(Esplêndido e precioso Guru Raiz / Sobre um lótus na coroa de minha cabeça /Abençoe-me com sua grande compaixão / E me outorgue a perfeição de corpo, palavra e mente.)
S. S.  DALAI LAMA: Gang rira wey kor wey shing kan su / Pendan dewa malu jun wei ne / Chenrezig wang tendzin gyatso yi / Shabpe kalgye'i sitey bardu tem gyur chik (No paraíso das montanhas nevadas / Sois fonte de amor e felicidade / Poderoso Tenzin Gyatso Chenrezig / Fique conosco até que termine o Samsara!)
S. S. SAKYA TRIZIN: Ngag wang gyu trul lha rig khon gyi dung / Dokun ga zay theg chen do nag lam / Phem dei pal du bar wei trinlay chen / Sam phel wang gi gyal poi zhal tem sol (Ngawang Kunga, linha de Khön, divino, / Benefício e alegria de todos os seres / Dono do grande e secreto caminho / Benfeitor grande Rei, viva longamente!)
S. S. CHOBGAI RINPOCHÊ: PALDEN  NGAK KI WANG POI RING LUK CHOK / KYEN RAP ZANG PO TRUL MEY LEK TOK TEY / LEK SHEY ZHUNG LUK GYATSO PEL WA LA / TSUNG MEY PAL DEN LA MA ZHAP TEM SOL: (Suprema linha histórica de Manjushri / Tem a excelente Realização e a perfeita Sabedoria / Para a difusão do oceano da linhagem excelente / Incomparável Guru, rogamos que viva longamente!) 
LUDHING KHEN  RINPOCHE: Jam pel pa woi pob pei terchen tsog / Yang chen ga me chig tu pung pei chi / Tem pei chi nor si mun drung jin pa'i / Teg chen cho kyi nyima tso zhay sol (Acumulação dos grandes tesouros de Manjushri / Gracioso despertar da primaveril Sarasvati / Tesouro do Ensino que liberta com sua luz / Sol do Dharma mahayana, viva longamente!)
 JETSUN KUSHO: Chime tshay lha gya tsho'i jin lap kyi / Ö sel lha rik dei chen pel Ter wa / Rik dzin nga kyi trin lei rab jam la / Wang jor dakii tso mop tso zhay söl:
(Primeira entre as Dakinis, viva muito / Pela bênção dos Deuses imortais! / E sempre rica de infinitas obras / Conceda sobre nós o esplendor das grandes bênçãos / Que gozam os deuses da clara luz!) 
LONGA VIDA DE TODOS OS LAMAS: PENDEI JUNG WEI NEY CHIK PO / TAN PA YUN RING NAY PA TANG / TEM PA DZIN PA KYEI PU NAM /
KUTSEII GYAL TSEN TEM GYUR CHIG (Rezando pela saúde de nossos mestres / Rezando por sua longa vida / Suplicamos que suas obras cresçam / E que nunca nos separemos!) Que suas vidas firmes como montanhas! / Que estandartizem os ensinamentos como grandes estrelas! / Que sua fama e sua glória se divulguem no espaço do Universo! / E que através de suas grandes obras / Todos nós sejamos felizes!
DEDICATÓRIA
JAMPEL PAAWÖ JITAR KHYEN PA DANG/ KUNTU SANGPO DE YANG DE SHIN TE/ DEDAG KUNGYI JE SU DAG LOB CHING/ GEWA DI DAG TAM CHE RAB TU NGO: De qualquer forma Samantábadra e o valente Manjushri sabem como transferir os méritos fazendo com que eu dedique todas as minhas virtudes do mesmo modo para que venha a poder trabalhar como eles!
DÜ SUM SHEG PEI GYAL WA TAM CHE KYI/ NGO WA GANG LA CHOG TU NGAG PA DE/ DAG GYI GE WEI TSA WA DI KUN KYANG/ SANGPO CHÖ CHIR RAB TU NGO WAR GYI:
De forma que todos possam compartilhar da boa fortuna, transformo todas estas raízes de virtude através de quaisquer meios de compartilhar o mérito como os Buddhas dos três tempos aprovam.
REZA ÀS 21 TARAS

 

1 Om jetsumma 
pag-ma dreul-ma-la chang-tse-lo  
Chag-tseI Dreul-ma nyur-ma pa-mo  
Chen-nyl kye-chig lhok-dang dra-ma  
Jig-ten sum-gom  chu-ki shel-gyi  
Ke-sar je-wa leni jung-ma  

2 Chag-tsel tön-ke dawa kün-tu  
Gang-wa ga-ni tseg-pe shel-ma  
Kar-ma tong-tag tsog-pa nam-kyi  
Rab-Lu che-we o-rab bar-ma  

3Chag-tsel ser-ngo chu-nie tye-tyii  
Pe-me chag-ni nam-par gye-ma  
Jin-pa tsün-du ka-tub shi-wa  
So-pa sum-ten chõ-yul nyi-ma  

4Changtsel de-shin sheg-pe tsug-tor  
Ta-ye nam-par gyel-wa cho-ma  
Ma-lu pa-rol chin-pa tob-pe  
Gyel-we se-tyi shin-tu ten-ma  

5 Chag-tsel Tuttara Hung ji-ge  
do-dam cho-dang nan-ka gang-ma  
Jig-ten dün-pe shab-kyi nen-te  
Lü-pa me-par guk-par nü-ma  

6Chay-tsel gya-chen me-lha tsang-pa  
Lung-lha na-tsog wang-chuk chö-ma  
Jung-po ro-lang ti-sa nam-dang  
Nu-Jing tsog-kyi dün-ne to-ma  
  
7Changtsel trad-che chadong Phatkyi  
Pa-rol tul-kor rab-tu jom-ma  
Ye-kum yon-kyang shab-kyi nen-te  
Me-bar tuk-pa shin-tu bar-ma  

8 Chang-tsel ture Jig-pa chen-po  
Du-kyi pa-wo nam-par jom-ma  
Chu-kye  shel-ni to-nyer den-dze  
Da-wo tam-che ma-lu soma  

9Changtsel konchog sumtson chag-gye  
Sor-mo tug-kar nam-par gyen-ma  
Ma-lu chog-kyi kor-lo gyen-pei  
Rang-gyi o-kyi tsog-nam tug-ma  

10 Chang-tsel rab-tu ga-wa ji-pe  
U-gyen o-kyi ting-wa pel-ma  
She-pa rab-she Tuttara-yi  
Du-dang jig-ten wang-du dze-ma  

11Chag-tsel sa-shi kyon-we tsog-nam  
Tam-che gyu-par nu-ma nyi-ma  
To-nyer yo-we yi-ge Hung-kyi  
Pong-pa tam-che nam-par drül-ma  

12 Chang-tsel da-we dum-bu u-gyen  
Gyen-pa tam-che shing-tu barma  
Rel-pe to-na o-pa me-le  
Tag-par shin-tu o-rab dze-ma  

13 Chang-tsel kel-pe ta-me me-tar  
Bar-we ting-we u-na ne-ma  
Ye-kyang yön-kum kun-ne kor-gye  
Da-yi pung-nyi nam-par jom-ma  

14 Chag-tsel sa-shi nyo-la chag-gi  
Til-gyi nün-ching shab-gyi dung-ma  
To-nyen chen-dze yik-ge Hung-ki  
Rim-pa dün-po nam-ni gem-ma  

15  Chang-tsel de-ma ge-ma shi-ma  
Nya-nyen de-shi cho-yul nyi-ma  
So-ha Om-dang yang-dag den-pe  
Dig-pa Chen-po jom-pa nyi-ma  
  
16 Chang-tsel kun-ne kor-rab ga-we  
Dra-ye lu-ni nam-par gem-ma  
yig-ge chu-pe ngag-ni ko-pe  
Rik-pa Hung-le dreul-ma nyi-ma  

17 Chang-tsel Tu-re za-ni dab-pe  
Hung-gi nam-pe sa-bon nyi-ma  
Ri-rab man-da-ra dang big-je  
Jig ten sum-nam yo-wa nyi-ma  
  
18 Chag-tsel lha-yi tsog-yi nam-pe  
ri-dag tag-chen chag-na nam-pa  
Ta-ra nyi-jo Phat-kyi yi-ge  
Dug-nam ma-lu par-ni sel-ma  

19Changtsel lha-yi tsog-nam gyel-po  
Lha-dang mi-an chi-yi ten-ma  
Kun-ne go-cha ga-we ji-kyi  
tso-dang mi-lam nyen-pa sel-ma  

20 Chang-tsel nyi-ma da-wa gye-pe  
chen-nyi po-la ö-rab sel-ma  
Ha-ra nyi-jö Tu-tta-ra-yi  
Shin-tu dak-po rim-ne sel-ma  
  
21 Chang-tsel de-nyi sum-nam kö-pe  
Si-we Lu-dang yang-dag den-ma  
Dön-dang ro-lang nö-jin tsog-nam  
Jom-pa Tu-re rab-chog nyi-ma  
Tsa-we ngak-kyi tö-pa di-dang  
Chang-tsel wa-ni nyi-shu tsa-chig  
 

Prece das vinte e uma Tares
OM! JETSUNMA! PROSTERNAÇÕES À NOBRE TARE!

1. Prosternações à Nobre, que é rápida e corajosa; cujos olhos brilham  e que nasce  face-lótus do Senhor dos Três Mundos; 
2. Prosternações a Ela, cuja luminosa face brilha com a luz de cem mil luas cheias de Outono, brilhante constelação de mil estrelas;
3. Prosternações para quem segura o lótus azul que purifica os três venenos e possui infinitas qualidades de doação, diligência, ética, paciência, meditação e paz;
4. Prosternações à Unisha dos Tatághatas, que conquista ilimitáveis vitórias e é servida pelos filhos dos conquistadores que atingiram as perfeições;
5. Prosternações a Ela, cujas letras TUTTARE e HUM, com sua luz poderosa, preenchem os sete mundos, beneficiando os seres;
6. Prosternações a Ela que é louvada por Shakra, Agni, Brahma, Vayu e Ishvara; em frente à qual assembléia de demônios, zombies, gandharvas e yákshas oferecem preces;
7. Prosternações a quem destrói o mágico poderes dos outros com os sons TRAT e PHÊT, pressionando com o pé direito curvado e o esquerdo estendido, brilhando com a luz flamejante do fogo;
8. Prosternações a Ture, a terrível, que conquista a totalidade dos ferozes demônios, cuja face-lótus em disposição irada mata os inimigos todos;
9. Prosternações a Ela, a mão esquerda posta no coração, no gesto que simboliza as Três Jóias, as palmas adornadas com a Roda Universal, radiação que conquista turbulências e obstáculos;
10. Prosternações à grande jubilosa, sobre cuja cabeça o rosário de coruscantes luzes; e rindo-se, rindo-se fortemente controla os demônios e o mundo com TUTTARA;
11. Prosternações a Ela, que tem o poder de subordinar a inteira assembléia dos protetores da terra; e resgata completamente os destituídos com o irado movimento da letra HUM;
12. Prosternações a quem tem a lua crescente como ornamento na cabeça e brilha com vários outros adereços, sobre cujo coque dos cabelos está Amitabha de onde partem contínuas luzes;
13. Prosternações a Ela, dentro de guirlanda qual no fogo do fim dos mundos, com isso dominando o exército sitiante dos inimigos da felicidade, com a perna direita estendida e a perna esquerda dobrada;
14. Prosternações a Ela, cuja mão esquerda em mudra ameaçador golpeia a terra de modo irado, com a letra HUNG abrandando os sete tipos de seres;
15. Prosternações a Ela, abençoada, virtuosa, serena; seu campo de prática é o calmo Nirvana, possuidora de SVAHA e OM, destruindo as grandes ações prejudiciais;
16. Prosternações a Ela, que destrói os inimigos sitiantes da felicidade, que libera com a formulação do mantra de dez letras e HUNG;
17. Prosternações a Ela, TURE, que bate o pé com a sílaba HUNG, sacudindo o monte  Mandara, Vindhya e os três mundos;
18. Prosternações a Ela, que segura a lebre-marcada lua, assumindo a forma do lago das deusas; no refrigério da lua os três venenos são purificados quando pronuncia duas TARAS e a letra PHÊT;
19. Prosternações a Ela, servida pelo rei dos deuses, pelos deuses, pelos homens e por todos; dissolve as brigas e maus sonhos com a armadura encantadora e brilhante;
20. Prosternações a Ela, cujos dois olhos - o sol e a lua - iluminam com raios que removem as piores doenças, proferindo uma vez TUTTARA e duas vezes HARA;
21. Prosternações a Ela, que possui a força tranqüila das três jóias, destrói os maus 
        espíritos e a caminhante morte... TURE, a excelente senhora!
Esta é prática do mantra-raiz
Com vinte-e-uma prosternações.

SÚPLICA AOS GURUS DA LINHAGEM DO RITUAL DE QUATRO MANDALAS DE JETSUN TARA

Para Jetsün Tara, que concede rapidamente os siddhis; para o glorioso Atisha, unica deidade da terra das neves; para Jina Dron, emanação de Avalokitesvara eu suplico me concedam os comuns e os extraordinários síddhis! Para o glorioso Gonpawa, que demonstrava grande respeito por seu Guru; para Zhangton Kamawa, protetor dos seres; para o mestre Lumpawa, tesouro de compaixão  eu suplico me concedam os comuns e os extraordinários siddhís! Para Chumikpa, sol dos ensinamentos Kadampa; para       Senge Kyab, que meditou grandiosamente sobre o Buddha; para o mestre Konchog Drag, o senhor do discurso, eu suplico me concedam os comuns e os extraordinários siddhis! Para Dewa Pal, que domina o desempenho da ioga numa única sessão; para o venerável Dragpa Shonnu, que proferiu as quatro injunçoes; para Sonan Drag, onisciente abade eu suplico me concedam os comuns e os extraordinários siddhis! Para Sonam Gyaltsen, sem igual nos três reinos; para o mantradhara Sungpal, o senhor do poder; para o venerável Palden Tsultrim, excelente irmão de coraçao  eu suplico me concedam os comuns e extraordinários síddhis! Para o veneravel Ngorchen, profetizado pelo Jina; para Rinchen Chogdrub, extremamente sábio; para Shakya Tondrub, o segundo onisciente eu suplico me concedamos comuns e extraordinários siddhis! Para Künga Legdrub, o real Manjusri; Sheu
Lotsawa, falante em duas línguas; para Ngawang Chogleg Dorje, de coração bondoso eu suplico me concedam os comuns e os extra ordinários siddhis! Para o mahasattva Khyenrab Tendzin Sang; para o glorioso Khyenrab Jampa, mestre dos seres; para Küngaa Lhundrub, grande Vajradhara eu suplico me concedam os comuns e os extraordinários siddhis! Para Küngaa Legpei Jungne, senhor do discurso; para o venerável Dongag Chbpel, iluminador
do ensinamento; para Rabjam Phuntsog, seu irmão do coração eu suplico me concedam os comuns e os extraordinários siddhis! Para Ngawang Sherab, o melhor entre os siddhas; para o venerável Ngawang Kalsang, guiado pelos divinos; para o sagrado e bondoso guru raiz eu suplico me concedam os comuns e os extraordinários siddhis! Pelo poder desta suplica de acordo com este ritual garantam-me as suas bênçãos para que as hostes de dons,
enfermidades e prejuízos sejam pacificadas e que quaisquer dos siddhis comuns e extraordinários rapidamente sem esforço realizados! Através de todos os nascimentos que eu nunca esteja separado de um guru perfeito e assim goze do esplendor do dharma; e pelo aperfeiçoamento das virtudes do caminho e dos bhumis que rapidamente atinja o estado de Vajradhara! Pelo poder de estar rezando e suplicando a vós, nos lugares onde viver, que eu e os outros estejam livres de doenças, de pobreza e lutas; que dharma e auspiciosidades estejam sempre em aumento! 
(Esta suplica para a linhagem do ritual de quatro mandalas de Tara foi composta no palácio Tashi Chöde pelo mendicante Künga Lhundrub em resposta ao pedido do senhor da fala Ngawang Tenphel.)



PRÁTICA CURTA
REFÚGIO: Eu me refugio, até alcançar a iluminação, no Buddha, no Ensinamento e na Assembléia de Gurus. Que, pelo mérito da prática da generosidade e das outras perfeições, eu possa atingir  rapidamente o estado de Buddha pelo bem de todos os seres. (3x)  OS QUATRO PENSAMENTOS INCOMENSURÁVEIS: Que todos os seres atinjam a felicidade, estejam livres de sofrimento, inseparáveis do êxtase da grande alegria e em equanimidade, livres do apego e do ódio! (3x)  PROSTERNAÇÃO:  
LHADANG LAMIN CHOPENGUY  / SHATCHI PEMÔ LATUDE  / PHONGPÁ KUNLE DROL DZEMA / DREULMÁ YUMLÁ CHANTSELLO. Com suas coroas, deuses e semi-deuses se inclinam para vossos pés de lótus. A vós, Mãe Tare, libertadora de todos os medos, rendo homenagem! (várias vezes) MANTRA:
OM TARE TUTTARE TURE SOHA


 DEDICATÓRIA:
  Pelo  poder da virtude acumulada praticando o yoga de Tare, que eu possa alcançar rapidamente o estado sublime de Ária Tare, e assim conduzir todos os seres sem exceção a seu estado iluminado!



 
Volte a Homepage