Entenda essas palavras com o coração 
e muitos de seus problemas deixarão de existir. 
A mente mente! 

Nossos pensamentos sempre nos parecem ser reflexos da verdade, e quando eles são ruins, autodepreciativos vivemos de forma amarga e presa.


Tão presa, que não percebemos que estamos sendo também o carcereiro... 
Juro que isso é verdade!


Prendemo-nos num mundo amargo que formamos na própria cabeça.
O que não é necessariamente a verdade!
A mente mente!
 

Muito do que acreditamos são crenças adotadas;
situações de tudo o que vivemos na vida!
Coisas que ouvimos de nossos pais, tios, avós, amigos e inimigos... 
Um modo de enxergar as coisas, 
mas através dos olhos de outras pessoas... 
Variadas pessoas, com variados conteúdos, interesses e variadas crenças... 
 

E vamos tocando a vida sem nos "re-questionar" 
sem "re-decidir" o que pensamos a respeito. 
Qual é a nossa opinião?  Como queremos agir? 
O que de verdade tem valor? 
 

É SÓ O QUE IMPORTA!
Tentar confiar nos pensamentos, 
nos sentimentos, nas qualidades, 
até que provem o contrário. 
Que "pro-vem" o contrário...
 

Tentar buscar a tênue linha 
que divide a imaginação da realidade. 
Pois a mente mente! 
 

Seleciona as suas companhias.
 
Os maus companheiros tornam-se presenças inconvenientes na tua vida e perturbam-te a marcha.
 
Ninguém é tão independente pleno que não corra o perigo de contaminar-se,
com aqueles que estagiam e se comprazem na delinqüência ou na insensatez viciosa.
 
Sê gentil com os maus e estúrdios, porém, não se imiscuas com eles, seu comportamento, suas atividades e filosofia de vida.
 
As enfermidades morais também contagiam os incautos que delas se aproximam.
 
Ninguém colhe em seara alheia, que não haja semeado,no que diz respeito aos valores morais.
 
Cada um é herdeiro de si mesmo.
 
Espírito imortal que é, evolui de etapa em etapa, como aluno em educandário
 de amor, repetindo a lição quando erra e sendo promovido quando acerta.
 
Assim, numa existência dá prosseguimento ao que deixou interrompido na
outra, corrige o que fez errado ou inicia uma experiência nova.
 
O que porém, não realiza por amor, a dor o convocará a executar.
 
Por isso lhe pergunto, sabe o que é sinceridade?
Ou pelo menos a palavra...
 
A ORIGEM DA PALAVRA "SINCERO"
SINCERA é uma palavra doce e confiável.
SINCERA é uma palavra que acolhe...
e essa é uma palavra que deveria estar
no vocabulário de toda alma.

SINCERA foi uma palavra inventada pelos romanos.
Sincero vem do velho, do velhíssimo latim ...
Eis a poética viagem que fez sincero de Roma até aqui:
Os romanos fabricavam certos vasos de uma cera especial.
Essa cera era, às vezes tão pura e perfeita
que os vasos se tornavam transparentes.
Em alguns casos, chegava-se a se distinguir um objeto - um colar, uma pulseira ou um dado -,
que estivesse colocado no interior do vaso.
Para o vaso, assim fino e límpido, dizia o romano vaidoso:
- Como é lindo !!! parece até que não tem cera !!!
"Sine-cera " queria dizer: "sem cera"
uma qualidade de vaso perfeito, finíssimo, delicado,
que deixava ver através de suas paredes,
e da antiga cerâmica romana, o vocábulo passou a
ter um significado muito mais elevado.

SINCERO é aquele que é franco, leal, verdadeiro,
que não oculta, que não usa disfarces, malícias ou dissimulações.
O sincero, a semelhança do vaso,
deixa ver através de suas palavras,
os nobres sentimentos de seu coração.

 
O que há por trás de cada agressão senão o medo?
E, o que há por trás do medo senão a falta de amor?
Não te enganes em tuas justificativas para as agressões que cometes contra ti mesmo e contra os teus irmãos.
No fundo, apenas queres ser amado, acariciado pelas mãos da vida...


Lembra que onde o coração descansa, o amor ecoa sua canção. Lembra que a única realidade que fica é o amor.


Tudo que está em oposição ao amor não tem significado, passa como os ventos antes das chuvas, como os dias antes das noites.


Portanto, procura não alimentar e nem dar realidade àquilo que tem por objetivo obscurecer a tua luz, dando-te como consolo a culpa, a escuridão, por teres ferido não só ao teu irmão, mas a ti mesmo.


Alimenta tua amorosidade, tua alegria, teu silêncio de paz. Mas, se não puderes controlar a fúria em teu ser, silencia e observa.


Aprende que tamanha energia pode ser usada em prol do entendimento, da compreensão do teu momento presente, e não usada, equivocadamente, contra aquele que imaginas querer destruir tua paz.


Não há no céu ou na terra alguém que tenha o poder de apagar o que desejas manter aceso. E que esta chama seja a fidelidade à tua inocência, ao teu desejo de compartilhar com os teus o que de melhor tens aprendido.

 
Não importa quanto amor se dê aos outros,
se não amarmos a nós mesmos,
ninguém vai nos amar o suficiente" 

Sintonia Saint Germain


Volte a Homepage. Back