Que Se Consiga O Que Se Deseja

 




Que neste ano que inicia, possamos fazer tudo aquilo que queríamos ter feito, mas por uma razão qualquer, não o fizemos.

Que neste ano que inicia, consigamos dizer as palavras certas nas horas certas, mas por um temor qualquer, não as dissemos.

Que neste ano que inicia, possamos deixar de ver e aceitar a banalidade daquilo que antes jamais aceitaríamos sob circunstância alguma.

Que se torne 'lugar comum, ponto pacífico', não a violência, ou a fome, ou a injustiça, ou todas essas atrocidades que temos visto nos últimos tempos. Mas, sim o amor, a fraternidade e a vontade de toda a humanidade viver em 'sintonia' e em harmonia com a vida como ela sempre foi... bela.

Que nesse ano que se inicia, não seja mais necessário atrasarmos o tempo de nossa evolução tendo que fazer 'faxina' em nossa existência interior tanto quanto a exterior.




Que possamos fluir junto com essa coisa misteriosa até para a ciência e os maiores sábios que já existiram, e que os da Grécia sabiamente batizaram de energia.

Que não mais tomemos atitudes que gerem 'curtos circuitos' em nossas relações com tudo aquilo que reparte conosco a estadia aqui nesse planeta.

Que possamos amá - lo como se fosse a única casa e residência que existe no universo onde pudessemos habitar. Pois, mesmo que seja temporário, na verdade é assim que realmente é.

Que possamos amar com o único intuito de amar. Não para possuir ou dizer que é nosso, mas sim para podermos apenas admirar a beleza e a sutileza que é a maneira como aquilo o que chamamos Deus, se manifesta e se pronuncia dentro de cada criação sem precisarmos ter uma forma definida Dele. Apenas pelo fato da coisa existir e se mexer ou não, ou poder manifestar sua presença, mesmo que seja algo que só possamos captar com a percepção... Amar como se nunca houvesse outra coisa a fazer, pois em verdade, é assim que é.





Que nesse ano que inicia, façamos o que tem de ser feito, exatamente como tem de ser feito. Sem precisarmos empreender esforços ‘sobre - existênciais’ (meu cunho) para efetuá - los.

Que nesse ano que inicia, o sentido deixe de ter sentido. O motivo pare de precisar de motivo.

Que a racionalidade se reconcilie com a espiritualidade. E que não haja nada mais a não ser paz. Mesmo que para atingirmos tudo isso seja apenas necessário nos sentarmos aonde estivermos como forma de dizermos: - " Não foi para isso que Deus nos creou." -

Que esqueçamos que algum dia, caso realmente tenha havido esse dia, tivemos dúvida de como se deixar levar pela correnteza do viver em plenitude com tudo o que há.

Que passemos a celebrar não em datas preestabelecidas, mas todos os dias como se fossem únicos. Pois em verdade o são.





Que esqueçamos que houve alguma vez, um ontem para se esquecer ou lembrar, ou um amanhã a se esperar em detrimento ao hoje. O que há de errado com o hoje? Ele é perfeito como tudo que Deus creou. E por mais que nos seja difícil aceitar, e é justamente por isso que ele não nos agrada, é o único dia que Deus fez.

Que a nossa ‘mesmice’ deixe de sê - lo. E sim seja o que sempre foi, uma eterna novidade.

Vou contar um segredinho para vocês; o velho, o antigo, o prehistórico não existem. É a cultura que criamos para podermos conduzir nossos caminhos que fez com que achassemos que existissem. Que fossem necessários ao nosso bem viver.

Que nesse ano que inicia, não mais contemos os anos, ou os dias, ou as horas, ou os minutos, ou os segundos, para nada. Pois só houve sempre a eternidade. E que ela seja em todos nós.





É, parece difícil, não? Mas, não é. É até ridiculamente fácil! Basta deixar o seu querer agir. Sem obstaculizá - lo. Pois o querer em ti, é Deus se projetando em creação.

Que nesse ano que inicia, não mais obstruamos o fluxo da energia Divina em nós. Façamos como os rios, que não se importando com que direção tomem, sabem que sempre desembocam no mar.

Que nesse ano que inicia, não mais nos importemos com que rumo tomemos, pois todos os caminhos levam a Deus. O Grande oceano Universal.

Agora tenho certeza que nesse ano que inicia, todos seremos felizes. Pois não havendo nada e nós, sendo nada, é só o que nos resta ser...

                                          

                                          Felizes.

  



                                                             Com todo Amor,

                                                                                                        R.M.
                                                                                                        Iniciado DK

Volte a Homepage. Back