O Cervo

Viagem Interior

Você esta entrando num outro espaço,
feito de luz e de sombra, 
   entrando no espaço do sonhar
   onde o poder e a inspiração estão fluindo.
 Na Luz sagrada do Sol, para entrar
  em comunhão com a mata,
com a Natureza, com o Paraíso Terrestre,
você veste um corpo animal, um corpo de Cervo.
Você é uma inteligência humana, que vestiu um corpo de Cervo.
Você é uma inteligência humana, usando a divina sensibilidade animal,
uma inteligência humana em comunhão com a Natureza.
E você vive a realeza do andar. O Cervo Rei, o Cervo Real.
Sentindo seus chifres acima da sua cabeça.
Acima da sua cabeça a coroa.
Sentindo a realeza do seu andar.
Sentindo, no espaço vazio entre seus chifres, essa Luz.
Da sua cabeça irradia Luz,
eleva-se uma Luz, que chama a Luz de cima.
Ao longo dos raios de Luz crescem, devagar, seus chifres.
Raios de Energia. Raios de sentir. Raios de Poder.
Acima da sua cabeça cresce a árvore dos seus chifres,
elevando-se para a Luz de cima.
 Você está acima de você, no espaço de Luz acima de você,
acima da sua cabeça.
Em comunhão com a Luz universal.
No seu corpo de Cervo respirando a brisa,
essa brisa cheia de perfumes vegetais.
A chuva está caindo, no seu corpo de Cervo
você se delicia com a carícia da chuva.
 Entre as nuvens aparece o Sol.
Deliciando-se em sentir a Luz do Sol
acariciar seu corpo de Cervo.
No ar, respirando a proximidade da água.
Seguindo o perfume da água no ar, chegando ao lago.
Entrando na água, a delícia da água
abraçando seu corpo de Cervo.
A noite está caindo, a Lua se levanta.
A carícia do luar e da Luz das estrelas.
Em harmonia com as inteligências do Universo,
compreendendo, aprendendo, recebendo
a inspiração das alturas e das profundezas,
a inspiração das raízes e a inspiração das folhas,
em harmonia com o tempo.
Em harmonia com o Sol, a Lua, a chuva celeste,
a primavera, as plantas, a vida.
A vida divina.
Em todas as partes a vida divina. Deus na Natureza.
 No ar, sente a proximidade dos lobos.
Divertindo-se, indo ao encontro da manada de lobos, desafiando
e fugindo no divino prazer do galopar.
Deixando os lobos se aproximarem, fugindo.
 Você sobe ao mais alto da montanha.
Contemplando a imensidão da paisagem vegetal,
a floresta onde se esconde o andar furtivo dos animais.
Em harmonia com o tempo, com o momento,
fazendo as coisas no momento certo,
na música do momento certo.
No aqui e agora. No fantástico Poder do aqui e agora. 
 

Comentário

 Nas civilizações antigas, os chifres eram símbolos de Poder. Antes da coroa, os reis usavam chifres para afirmar o Poder. Antes dos reis, os xamãs usavam e usam chifres. A coroa primitiva tinha pontas, chifres. Aqui o segredo: a coroa. Em hebraico antigo, a mesma palavra significa "chifres" e "raios de Luz". Moises, ao voltar do Sinai, tinha chifres de Luz na cabeça.

            anterior.gif (1189 bytes)            proximo.gif (1194 bytes)




O texto original é encontrado com toda a nossa gratidão em:
Descubra seu Lado Infinito