chama violeta  Pager

Plenilúnio de Câncer


Terça feira 03 de julho de 2012 18:51hs pm (Tempo Universal GMT)  



Nota chave: "
Construo uma casa iluminada e nela moro"


Depois do período dos três Festivais principais: Páscoa, Wesak e do Cristo, nos adentramos na experiência que proporcionam os nove Festivais menores. Estes nove festivais de Lua Cheia integram os "atributos" divinos na consciência humana, da mesma maneira que os três Festivais principais estabelecem os "aspectos" divinos.

Enquanto qualidades básicas de sua energia são bem conhecidos os aspectos que refletem a trindade subjacente da divindade: vontade ou propósito, amor-sabedoria e luz ou inteligência ativa. Os atributos divinos estão baseados na harmonia através do conflito, a ciência concreta, o idealismo ou a devoção, a ordem e a organização. Estes atributos são tão divinos como os três aspectos principais em sua estimulação do potencial espiritual da humanidade. As doze oportunidades dos Festivais se utilizam através da meditação e da canalização de energia, a fim de influir no crescimento evolutivo de todos os reinos da natureza. Durante a elevada tensão dos três Festivais principais se produz um enfoque e concentração de energia. O aspecto subjetivo ou consciente dos três reinos - “Shambala, a Hierarquia e a Humanidade” - se encontra profundamente envolvido em criar e manter esta tensão planetária e, conseqüentemente, termina por ser intensamente afetado por ela. Os nove Festivais menores são utilizados como oportunidades para que a energia se exteriorize de acordo com sua qualidade e condições existentes.

Passados os três Festivais principais, este Festival do Plenilúnio de Câncer proporciona a qualidade que faz com que as energias espirituais se manifestem na vida diária. A energia desse Festival, que afeta a consciência da totalidade do reino humano, desce até as raízes da vida humana, simulando a chispa da divindade no centro de cada átomo  de substância.

Provavelmente, existem tantas formas de meditar quanto de meditadores. Porém, quando todos esses meditadores se unem num serviço mundial, a conexão entre todos resulta numa vasta meditação planetária que, recebendo e distribuindo as energias mais elevadas, contribui para a elevação da consciência humana. Alinhando-se com a nota chave deste festival a personalidade, inspirada pela alma, cria uma forma de vida que está motivada espiritualmente, baseando-se em princípios que iluminam e inspiram a outros. À medida que a personalidade vai tornando-se translúcida e radiante, converte-se em serviço para a humanidade. É isso o que a família humana está criando: Uma casa iluminada de três andares, que consta da mente, das emoções e da expressão física. Em cada nível de vida e de percepção, a luz pode ser liberada para iluminar a obscuridade, de forma que a casa toda da personalidade se torne radiante, amorosa e iluminada.

Essa energia que flui da Constelação de Câncer para nosso sistema solar, para nosso planeta e para a consciência humana, estimula a consciência grupal e a percepção da humanidade como um reino. Essa influência tende a despertar a autoconsciência individual como um primeiro passo necessário para a consciência grupal. No reino humano existe uma seqüência natural de crescimento da consciência que se pode definir simplesmente mediante as palavras: dependência - independência - interdependência. A enorme maioria da humanidade tende a ser dependente de numerosas formas. Com o desenvolvimento da independência se alcança a etapa de auto-conscência e auto-afirmação individual. O passo seguinte, a interdependência, comporta uma percepção da humanidade como um centro unificado e interativo de vida e consciência, dentro de uma vida maior. Grande parte da agitação atual de nossas vidas seja econômica ou política, é o resultado deste crescente reconhecimento de interdependência entre povos e nações. Diversas nações se encontram agora na etapa de independência, esforçando-se para alcançar uma plena compreensão da natureza da interdependência, da inter-relação e da participação planetária. A chave deste entendimento é a Cooperação, porém ainda falta muito para se chegar à sua aplicação prática.

Enquanto nos mantenhamos imersos em pensamentos materialistas, egoisticamente individuais, ou influenciados por emoções e medos coletivos, é a natureza inferior ou instintiva quem tudo controla. Porém, mediante a repetida experiência do sofrimento, que é resultado do egoísmo, a alma, que é a divindade interna viva, começa a exercer sua influência. A sensibilidade aumenta e o intelecto substitui as reações instintivas. O uso da corrente de energia disponibilizada na Lua Cheia de Câncer ajuda a liberar o princípio da alma, aprisionado pela personalidade egoísta. A forma se reconhece então como um simples veículo, como o meio de expressão para a alma. À medida que a personalidade se torna gradualmente evoluída e iluminada, à força de servir para elevar a consciência humana, a alma se libera de suas ataduras e se mostra visivelmente na vida humana. Sabedoria e razão, ou intuição, começam, a substituir o intelecto, revelando e significado e natureza da inter-relação, que é a verdadeira qualidade da vida.

Esse singular fluxo de energia nos dá a oportunidade de compreender que a forma, a matéria, deveria ser, deve ser e pode ser, infundida pela vida e pela consciência da alma. Temos chegado demasiado longe com o materialismo. Temos regido nossas vidas por valores materialistas, que têm nos mantido atrasados e irresponsáveis. Atualmente, porém, graças ao progresso e as crises, graças à experiência e a maturidade espiritual, a consciência humana está começando a vislumbrar que o Cristo interno está emergindo no coração da humanidade. Esse novo nível de consciência revela o fato que a humanidade deve criar agora um novo materialismo no plano físico, um novo nível de vida. As formas e ideais do passado, velhas e agressivas, devem mudar. Estamos presenciando uma confrontação entre as forças do materialismo e as forças da Luz, entre o bem individual e o bem grupal, uma confrontação que se estende a todas as áreas da vida nacional e planetária.

Trabalhando em meditação, como grupo planetário, com a corrente disponível de luz, amor e vontade espiritual, necessários para prover novas formas de pensamento, podemos demonstrar o espírito inerente à humanidade. Devemos atrever-nos a pensar de forma nova. Sob o impacto das forças extraplanetárias fluem novas idéias para a mente da humanidade. Nessa mescla de energias que estão caindo agora sobre o planeta e fixando-se na consciência humana se encontram à nossa disposição novos ideais a apreender, novas formas de fazer as coisas, novas formas de servir e de amar a humanidade.

Atualmente, as áreas iluminadas da consciência humana estão se expandindo por todas as partes. A forma de cooperar com essa expansão tão necessária é mediante o serviço feito com alegria. Cada um pode contribuir para a liberação e iluminação da alma humana por meio da meditação e do pensamento reflexivo nos dias de Lua Cheia.

A forma mais efetiva que temos de cooperar com as Forças da Luz, para abrir o caminho para um futuro melhor é, sobretudo, pelo uso e distribuição crescente da Grande Invocação.

  A Grande Invocação  

Desde o ponto de Luz na Mente de Deus,
Que aflua luz às mentes dos homens.
Que a Luz desça à Terra.

Desde o ponto de Amor no Coração de Deus,
Que aflua amor aos corações dos homens.
Que o Cristo retorne à Terra.

Desde o centro onde a Vontade de Deus é conhecida,
Que o propósito guie as pequenas vontades dos homens -
O propósito que os Mestres conhecem e a que servem.

Desde o centro a que chamamos raça dos homens,
Que se cumpra o Plano de Amor e Luz,
E que se sele a porta onde mora o mal.

Que a Luz, o Amor e o Poder restabeleçam o Plano na Terra.


Volte a Homepage. Back