OS 22 CAMINHOS DA KABALA  
 

 

                

       

Heh
5   
 
     

          

 

           15º CAMINHO - TIPHERETH - HOCKMAH

         O 15º Caminho é o da INTELIGÊNCIA CONSTITUINTE, porque constitui a substância da criação em pura escuridão e os homens falarão das contemplações; que é a escuridão da que fala as Escrituras, em Job 38:9.

         Na sua marcha evolutiva a Individualidade se depara neste Caminho com a Inteligência Iluminadora, a segunda Gloria. Toma consciência das suas origens e também da sua missão.

         A criação do Sistema solar se realizou em princípio nos planos internos, no chamado "Corpo do Logos." O primeiro capítulo do Gênese relata a criação cósmica do Universo pelo Logos, no plano abstrato, em sua Mente, enquanto o segundo capítulo conta a criação cósmica exteriorizada, elaborada com a colaboração dos Cavalheiros da Chama, Mente e Forma.

         Quando o Logos manifestou a evolução, atraíram para junto de Si os átomos cósmicos, futuros colaboradores em seu no Grande Plano que pertencem, junto com Ele, ao Cosmo, e que evolui através das Divinas Centelhas. Isto se refere ao átomo cósmico que anima umas Divinas Centelhas, porque não são todos os que entram dessa maneira na evolução.

         A primeira fase da manifestação do Logos é a manifestação de si mesmo, para posteriormente projetar seu Universo. Os três aspectos do Logos são estados subjetivos, exteriorizados. Dizem os cabalistas que "a Divindade é Una porque é Infinita. É triplo porque está sempre se manifestando".

         A evolução dos átomos cósmicos é paralela a do Logos e, como Ele, também são trinos em sua manifestação. Vão realizando as mesmas ações e reações, mas em uma espiral inferior.

         O Logos vai projetando a sua consciência nos sete planos cósmicos, no que será o molde do Universo, uma representação sua, um arquétipo cósmico em estado latente, supra consciente. No 7º plano cósmico é onde se manifesta em Kether a si mesmo, na sua natureza e essência. Em Hockmah entra em manifestação a pura energia, é o segundo Pai, e em Binah esta energia anima a Idéia cósmica, a primeira idéia abstrata da forma, que em Hod acha sua expressão concreta. Essa energia é força sem limitação, uma pura atividade que constitui a força dinâmica do Universo.

         O propósito deste Caminho é a Visão de Deus, cara a cara,; em outras palavras, a Individualidade se coloca em frente a Hockmah com a dinâmica da pura energia divina, simbolizada pela carta Heh, chave deste Caminho que significa janela. A personalidade toma conhecimento, condicionamentos e experiências que se vão ampliar em razão do alongamento de seus horizontes mentais e espirituais.

         A pura energia que emana de Hockmah, o Grande Estimulador do Universo que estimula e causa a evolução, une o Espírito a matéria; por meio dela as idéias da Mente Universal são impressas em todos os planos. É a energia vital que, sem ela, a forma não entra na corrente evolutiva; esta mesma energia está presente em todos os seres vivos, e é criativo e procriadora. Esta energia precisa a ser entendido e controlado pelo iniciado que deste modo você pode identificar harmoniosamente com todas as coisas em todos os planos visíveis e invisíveis. Esta energia acha sua representação hieroglífica na letra Heh, a vida universal, a respiração do homem, o sopro, tudo aquilo que encoraja e vivifica. Isto traz à mente a importância da polaridade, tanto no Universo como no Homem, a aceitação da função individual que compete cada um.

         Somente o que entendeu todos os princípios da polaridade, o vivenciou e experimentou completamente em si mesmo, será capaz de ver a Deus cara a cara, depois de ter conquistado os véus do caminho da seta da Iluminação. O primeiro e segundo mandamentos contêm a chave que abre as portas para a concretização deste objetivo.

         O significado espiritual deste Caminho é determinado por Áries, signo zodiacal que marca o começo de umas séries de 12 signos. O Zodíaco é o chakra mundano de Hockmah. Áries, o carneiro, é o animal de sacrifício, de acordo com a Bíblia que substitui esotéricamente o sacrifício humano como Agnus Dei (Cordeiro de Deus) de cujo sangue se realiza a renovação da humanidade. "Merecedor é o Cordeiro que foi imolado, de receber o poder, riqueza, sabedoria, forças, honra, glória e elogios." Apocalipse 5:12.

         O elemento fogo caracteriza este signo, a força que possibilita o sacrifício. É de interesse observar que o 15ª senda está como uma continuação de 26ª , tendo em comum a imagem da cabra expiatório e o carneiro do sacrifício.

         O Zodíaco dá uma idéia rítmica da sucessão dos 12 signos dentro do círculo cujas experiências formarão parte da bagagem espiritual de cada ser antes de ver a Deus cara a cara. Ainda a custa da própria vida, o iniciado continua sua caminhada, apoiado apenas na fé, rumo à casa do Pai. O planeta Marte o influencia indiretamente, insuflando lhe coragem e audácia, para dar o "salto na escuridão", sobre o Abismo.

         Neste Caminho, a Individualidade está consciente de sua ignorância sobre as coisas divinas. Se harmoniza pelo conhecimento, sacrificando o que era conhecido e que parecia tão valioso. Deste modo nu, avança intrépido para a aquisição do único real tesouro e verdadeiramente merecedor de ser possuídor, a Divina Sabedoria.

         O 4º Arcano, o Imperador, descreve um rei sentado em um trono cúbico, com as pernas cruzadas. Ao lado do cubo é projetada uma águia; o rei tem na mão direita o cetro egípcio com a parte superior terminada em uma cruz de três braços. O rei simboliza a energia espiritual sobre o equilíbrio e estabilidade (do cubo), o que governa com sabedoria, a atividade que domina a passividade, a razão sobre o incontrolado da paixão, impondo disciplina. Os três braços da cruz representam a Vida nos três mundos com cujos reinos deve o iniciado se familiarizar. A águia simboliza os vôos mais altos neste caminho.





Volte ao Site.