OS 22 CAMINHOS DA KABALA  
 

 

                

       

Shin 300   
 
     

                   31º CAMINHO - MALKUTH - HOD

         O 31º Caminho é à INTELIGÊNCIA PERPETUAL, mas por que ele é chamado assim? Porque regula os movimentos do sol e da lua na sua própria ordem, cada uma em sua própria órbita.

         Neste Caminho o iniciado desenvolve a mente concreta e todas as aptidões e as capacidades com ela relacionadas e que estão interiorizadas no inconsciente. É a senda da instrução que inclui todo o nível mental.

         O estudo da ciência natural que se ocupa da classificação dos caracteres físicos dos grupos humanos e do etnologia, conferem uma abertura à melhor compreensão deste caminho, pois o temperamento humano se identifica então com estes aspectos.

         De Malkuth, o reino dos elementos, o mago vai ao encontro de Hod, sua tesouraria das imagens, pensamentos, formulários, domínios sobre a mente com discernimento seletivo. O grupo inconsciente encerra aspectos desta Tesouraria das imagens isso vai além da experiência individual e são resultantes das experiências dos ancestrais da espécie humana; produzem nas reações psicológicas do homem de conformidade com normas pré-existentes, de escolha acima precedente ao consciente. Sendo instintivas tem um sabor original, não preso ao condicionamento sensorial e podendo revelar coisas não conhecidas ao intelecto pessoal.

         Binah, esfera das ideias abstratas, se concretiza en Hod, que é a esfera do pensamento intelectual puro da mente concreta.

         Mercurio é o chakra  mundano de Hod cujas condições adversas promoven a instabilidade no mundo mental.

         O iniciado possuindo a chave de Malkuth (o Discernimento, dominando a essencia da virtude da oitava esfera), a Verdade estabilizará as desarmonías dos elementos dentro de sí a luz da visão do esplendor.

         A vitória neste Caminho está condicionada a normalidade física, ao dominio sobre as circunstancias internas e externas. Mente sã em um corpo são é a condição essencial no ocultismo.

         O homem sofre várias pressões, é objeto de impactos de todas as especies e sujeito a tensões diversas, seja no plano físico como nos internos, por isso precisa aprender a dominar a materia física, por harmonização consciente da mente e das emoções.

         A Individualidade, representada pelo Sol, derrama constantemente sobre a personalidade, Lua, sua pura luz. A função da personalidade é refletir harmonicamente esta luz sem qualificala, com as cores escuras de suas desarmonías. No fogo de seu empenho ardente deve queimar suas má qualidades, transmutando-nas em seus aspectos positivos.

         Do profundo e misterioso bem do conhecimento, o iniciado retira a agua que mitiga sua sede de sabedoría.

         Vencendo o infernal fogo da ignorancia, purificando-se nas profundas aguas do sofrimento, saindo vitorioso do vale terrenal do sacrificio e elevando-se aos puros ares das montanhas da visão, é que se abre ao iniciado o umbral da Inteligencia Perpétua.

         A chave deste Caminho é a letra Shin da carta que simboliza o dente e a parte do arco de onde sai a flecha. Em um sentido velado, representa a duração relativa, a existência. A própria forma desta letra recorda um fogo ardente. Este elemento foi a marca inicial da civilização, estreitamente vinculada ao despertar, da vontade espiritual humana. Então, tudo o que está relacionado com o fogo é a técnica deste caminho, como bem caracteriza o título do Arcano número de XX; Espírito do Fogo Primitivo.

         Esotéricamente chamando, a 31ª senda é o passo da Lareira, sua construção, preservação e responsabilidade pelos filhos. É o caminho do Fogo da Lareira. O sentido deste caminho mostra que a lareira e suas responsabilidades tem prioridade sobre as demais ocupações, estando a vida social em função da familia; assím, os aspectos psicológicos deste caminho se ligam ao relacionamento familiar e conjugal de acôrdo com os principios morais e éticos da espiritualidade.

         O portal deste Caminho é o Arcano Maior XX, o Juizo, no qual a figura do Anjo tocando uma trombeta; é o guardião desta senda; um homem, uma mulher e um menino saindo de uma tumba, são os polos positivo, negativo e neutro, que são chamados a vida desde o dominio da morte, uma chamada a regeneração, a reintegração, uma viajem de volta ao Pai, deixando atrás o umbral do vale da sombra da morte, um dos títulos de Malkuth. Esta chamada nada tem haver com o que a Igreja Católica denomina Juizo Final. Simboliza a volta ao verdadeiro Plano Divino. O Anjo também representa um aviso do que irá suceder na época do periodo de Júpiter, quando a humanidade seja julgada e outros elementos ficarão esperando próximas oportunidades.

         É por meio da mente que podemos voltar ao verdadeiro Caminho. A mente não tem finalidade em sí mesma, a não ser que suas raízes estejam unidas em Hesed, mente abstrata, cujos conceitos são representados por meio de símbolos.



 


Volte ao Site.