OS 22 CAMINHOS DA KABALA  
 

 

                

       

Tsade
90   
 
     

          

                  28º CAMINHO - YESOD - NETZAH

         O 28º Caminho é chamado INTELIGÊNCIA NATURAL. Por ela é completada e sofisticada a natureza de tudo aquilo existe debaixo do Sol.

         A letra Tzaddi, chave deste Caminho cujo significado é anzol, simbolizada a polaridade vertical entre a Individualidade e a personalidade, sugerindo a necessidade de espiritualizar a personalidade e lhe propõe aspectos e estados superiores e mais altos de consciência que propicia o domínio sobre a tirania das circunstâncias.

         Este domínio, em um plano geralmente físico, que é autorizado pela ação no plano imediatamente superior. Quando nós queremos corrigir ou aperfeiçoar qualquer circunstância, até mesmo problemas de saúde, nós deveríamos agir no duplo etérico; é nele onde os mágicos imprimem qualidades ou característica que querem objetivar. Esse é um eficaz meio de cura, melhoria e até de rejuvenescimento, sendo indispensável o emprego da emoção criadora.

         O signo de Aquário atribuído para este caminho representa a água espiritual, a água da vida. Os seus dois zig-zag indicam a dualidade (Individualidade e personalidade) e sentimento de cooperação; sendo um sinal de natureza do ar, tudo aquilo que é ordem superior deveria ser acatado para o maior êxito do caminhante nessa senda.

         Os aspectos venusinos se incorporam neste Caminho, assim as forças, quando estão desequilibrados podem afetar o desarmonizado psique do iniciado quando não estão apoiados no conhecimento e na fé, levando à luxúria, para as paixões obsessivas, que exagera emoções, etc.

         Esta é uma senda perigosa, de coisas ilusórias, atratividade enganosa para os relacionamentos da personalidade. É um caminho vinculado à inspiração artística, com relação a Vênus, o chakra mundano de Netzach. Nesta Estrada nós podemos achar o Anjo Iluminador (o Lúcifer) associado a Vênus nos seus aspectos altos e baixos. Os títulos esotéricos do Arcano IV, Filho da Manhã, Chefe entre os poderosos, estão unidos a Vênus, a estrela matutina e vespertina.

         A imagem mágica de Netzah é uma mulher nua bonita a de Yesod um homem nu bonito, mostrando uma grande fonte de energia nesse Caminho o da polaridade horizontal entre o homem e a mulher. Mas o próprio signo de Aquário sugere a importância da polaridade vertical entre a Individualidade e a personalidade, incitando a esta a agir e viver em função daquela. O caminho do meio é o mais curto, mais difícil, porém o mais rápido. A personalidade ainda não harmonizada, atendo se aos caminhos laterais, pode com muita facilidade se perder nos seus aspectos negativos. A polaridade horizontal é de muita importância para não extraviar se em um de seus propósitos: mover a energia sexual em direção ascendente.

         O 28ª caminho é a do sentimento e seu desequilíbrio leva a atrações e enredos distorcidos e enfermidades; guia a imaginação criativa por caminhos da esfera emocional. Deste modo, os arquétipos da inconsciência estão com relação a esta Caminho (a alma no homem e o espírito na mulher), os ideais femininos e masculinos que, quando eles não são aceitos, eles produzem desastres conjugais.

         A consciência projetada dos átomos cósmicos produz a manifestação primordial oriunda do Mar do Imanifesto, com o qual se relaciona a Mulher Nua do Arcano XVII, a Estrela. Ela é uma representação do aspecto feminino de Deus, o Divino Andrógino; está ocupada na água e terra com suas ânforas, um de ouro, outra de prata, com o fluido da Vida Universal que retira das águas. Encima, no céu, brilha uma estrela de oito pontas, simbolizando o Logos, cercado por outras sete estrelas menores, simbolizando os sete selos apocalípticos. Uma borboleta ou pássaro, posados em uma planta ao fundo da paisagem, simbolizam a esperança de paz.

         A evolução nos planos cósmicos é simbolizada nos titulos do XVII Arcano maior, Filha do Firmamento e Morador entre as águas, porque antes da manifestação do Universo, do Divino se tornar, nada havia para ser visto, apenas a escuridão, simbolizada pelos Véus do Imanifestos além da luz que tem na Água seu símbolo hieroglífico, as Águas do Imanifestos que fluem na manifestação.



 


Volte ao Site.