sintonia




Estudos de Textos Semanais
Estudar um deles da semana, na ordem, à cada dia.


Ensinar significa 6ª semana

 

36º DIA - Viver com Inspiração

Uma história bíblica muito difícil de se aceitar, se interpretada literalmente, é a do sacrifício de Isaac. É evidente que Deus, tendo acompanhado Abrahão por toda a sua vida, jamais iria desejar que ele sacrificasse um filho tão amado. O sacrifício exigido deveria ter algum outro significado.
Seu filho Isaac já era um homem crescido, e a família levava uma vida muito tranqüila. Os dias se repetiam iguais, um após o outro. Mas para um homem devoto como Abrahão, um autêntico místico, os momentos precisam ser vividos intensamente. Pessoas assim precisam estar sempre superando obstáculos e se renovando.
Abrahão seguiu para cumprir a ordem divina. Por três dias caminhou com seu filho em direção ao sacrifício. Três dias repletos de reflexões, silêncio e amor. Assim, o ciclo de repetição foi quebrado e com o resgate do sentimento do amor, significado principal da vida, o que foi realmente sacrificado foi o modo de viver repetitivo e mecânico.
Influenciados por esta passagem bíblica, rompemos com tudo aquilo que esteja mecânico em nossa vida. Com esta consciência procuramos Viver com Inspiração.

Shefa brachot! (Abundância de benções)
Beijos de Amor e Alegria na Luz do Nome Inefável.

 

37º DIA - Diferentes Personagens

Uma disputa muito difícil entre dois irmãos gêmeos, Jacob e Esaú. Um é suave e contemplativo. O outro um guerreiro, tomado pela reatividade. Por trás dos arquétipos destes personagens a Torá nos fala também sobre uma disputa que ocorre dentro de cada um de nós.

Como, por exemplo, quando a noite você jura abandonar um vício e pela manhã resolve adiar. Ou quando você promete que vai se dedicar mais aquilo que realmente importa em sua vida e logo depois volta a ficar encoberto pelo mundo aparente e ilusório.

O fato é que, ao se observar diante destas questões, você inevitavelmente irá reconhecer dentro de si mesmo distintos personagens, diferentes inclinações. E não há um único ser humano na face da terra que não tenha que lidar com o conflito entre suas inclinações positivas e negativas.

Fundamentados nesta conexão, ampliamos a nossa consciência para perceber que o bem e o mal que vemos no mundo estão dentro de nós mesmos. Esse é o ponto de partida, porque, como dizia o filósofo grego Sócrates:
"Se você quer transformar o mundo, comece transformando o seu interior."

Shefa brachot! (Abundância de benções)
Beijos de Amor e Alegria na Luz do Nome Inefável.

 

38º DIA - O Espelho


Jacob havia feito parte de uma grande trapaça, ao enganar o irmão para tomar a sucessão do patriarcado. É verdade que o plano era de sua mãe e que ele era mais apropriado para o cargo. Mas quando seria a mentira justificável?
Jacob então se afasta e vai morar na cidade do tio, onde se apaixona pela prima Raquel, por quem é obrigado a trabalhar sete anos de graça. O tio lhe ludibria e obriga-o a casar também com sua outra filha, Lea, e assim dobra para catorze anos o tempo de trabalho gratuito. Nada na Torá aparece a toa e é notável que ele seja enganado pelo tio na porção seguinte ao episódio em que ele engana o irmão.
Reflita profundamente sobre o nosso comportamento. O quanto agimos com mentira ou verdade com todos a nossa volta, e principalmente, com nós mesmos. Faça isto e você descobrirá que a forma com que age com o mundo, o mundo age com você.

Shefa brachot! (Abundância de benções)
Beijos de Amor e Alegria na Luz do Nome Inefável.

 

39º DIA - A Transformação

Vinte anos se passaram desde que Jacob fora jurado de morte pelo irmão. E ele está com muito medo, pois em breve re-encontrará Esaú. Jacob amadureceu muito neste período, formou uma grande família, tornou-se próspero, mas agora terá que lidar com um enorme desafio.
Por isso, durante uma noite inteira, se exila no deserto, para um combate com o anjo da morte. Desta luta ele sai ferido, mas consegue uma grande vitória. Ao olhar para dentro Jacob descobre em si mesmo os aspectos negativos que atribuía ao irmão, e a partir desta revelação, ele se transforma em um novo homem, e ganha um novo nome.
Leve este olhar para dentro. Ao fechar os olhos para fora descobriremos quem somos nós. Que possamos, como Jacob, nos tornarmos pessoas melhores.

Shefa brachot! (Abundância de benções)
Beijos de Amor e Alegria na Luz do Nome Inefável.

 

40º DIA - A Determinação

José era um dos doze filhos de Jacob, e desde pequeno mostrava as qualidades que lhe tornariam o herdeiro natural do patriarcado. Os irmãos passaram a sentir muita inveja dele e um dia, possuídos pelo ódio, o atacaram no deserto e venderam-no como escravo.

José não sucumbiu ao sentimento de raiva e ao desejo de vingança dos irmãos. Mesmo mais tarde, quando preso injustamente, não esmoreceu. Manteve-se sempre firme e aguardando dias melhores.

Trago esta energia de determinação. Inspiramos-nos em José para lembrar que mesmo os maiores obstáculos são temporários. Precisamos manter-nos firmes e não nos deixar contaminar pelos sentimentos negativos, já que temos algo muito importante a realizar.

Shefa brachot! (Abundância de benções)
Beijos de Amor e Alegria na Luz do Nome Inefável.

 

41º DIA - A Entrega

A porção da tora relata um estranho sonho do faraó, quando via sete vacas gordas seguidas de sete vacas magras. As interpretações de seus magos não lhe convenceram, e assim José (Yossef) foi chamado e previu que haveria uma abundancia de sete anos na terra, seguida de uma devastadora seca por igual período. E assim José foi nomeado governante.

Existe um código muito significativo presente nesta porção da Torá: Quando José foi chamado para interpretar o sonho, este era um momento impar em sua trajetória. Ele estava preso há muitos anos e se falhasse não teria mais qualquer esperança em sua vida.

Mas José sabia que era apenas um instrumento, à serviço de algo muito maior do que ele, e por isso foi bem sucedido. Tomados por esse espírito procuramos, controlar menos e nos entregar mais, com a certeza de que algo muito bom nos espera.

Shefa brachot! (Abundância de benções)
Beijos de Amor e Alegria na Luz do Nome Inefável.

 

42º DIA -O Perdão

A porção da torá, muito bonita por sinal, fala do re-encontro de José com os irmãos e com o pai, com quem ele não tinha contato há 22 anos. José tinha motivos de sobra para não perdoar os irmãos, que o haviam vendido como escravo. No entanto, ele prefere ver a mesma situação como um presente divino. Afinal, somente após ter passado por tudo que passou que ele pode se tornar governante do Egito e assim acabar salvando a própria família da seca e da fome.

Que possamos nos imbuir do espírito de José, e descobrir a luz por trás da escuridão. Assim poderemos perdoar. Afinal, como poderemos construir uma nova consciência se carregados de ressentimentos?

Shefa brachot! (Abundância de benções)
Beijos de Amor e Alegria na Luz do Nome Inefável.


Voltar