sintonia




Estudos de Textos Semanais
Estudar um deles da semana, na ordem, à cada dia.


Ensinar significa 2ª semana

8º DIA - O Templo Interior


Quando você dá de todo coração, está destinado a receber de volta alguma coisa em troca.
Sei
que muitas pessoas ficam frustradas quando compartilham e não recebem nada por isto. A chave é não ter expectativas de que o retorno venha da pessoa para quem você deu.
Nossos cinco sentidos nos impedem de ver que é a Luz quem dá, não a outra pessoa. Quer dizer, quando você está envolvido num relacionamento, simplesmente foque em compartilhar e não se preocupe em como ou quando receberá o seu porque a verdadeira troca não é entre você e o outro, mas sim entre você e o Criador.
Não faz diferença se a energia vem dessa pessoa ou de qualquer outra. Quando você dá de todo coração, mesmo se julga não estar recebendo o suficiente em retorno ou se a pessoa não estiver fazendo a parte dela, desde que você se mantenha focado em fazer a sua parte, a energia retornará. Ela tem que voltar porque é assim que o sistema espiritual está estruturado.
Obviamente nós não podemos continuamente dar para a mesma pessoa que não faz nada em troca porque corremos o risco de dar e ela o que os kabbalistas chamam de “pão da vergonha”. Mas no curso normal dos acontecimentos, podemos nos tornar melhores em não calcular cada passo no caminho, e em vez disto simplesmente seguir o fluxo.
Kabbalisticamente, abrir mão do nosso desejo de retribuição é como construir um templo dentro de nós no qual a Luz pode repousar, nos permitindo desta maneira acessar a plenitude e tudo de bom que existe. De forma oposta, quando ficamos procurando o que podemos obter em retorno, construímos um lugar para o caos existir. Isto passa a ser a fonte de tudo que prejudica nossa vida.
Encontre forças para compartilhar em mão única. Abra seu coração e dê para os outros, sem expectativa de retorno.

Shefa brachot! (Abundância de benções)

Beijos de Amor e Alegria na Luz do Nome Inefável.

 

9º DIA - Você me Ama

Depressão. Raiva. Co-dependência. Inveja. Vício. Impaciência.
Soa familiar? O que essas coisas têm em comum? Todas elas são formas de idolatria.
Nesta porção o Zohar se refere aos perigos da idolatria. Se você pensa que idolatria é somente de se curvar diante de estátuas antigas, pense novamente. Qualquer coisa pela qual você se deixe controlar é considerada pelos kabbalistas como idolatria.
A energia dos próximos dias lhe ajuda e se purificar de uma forma de idolatria – a busca de aprovação.
O que é a busca de aprovação? É querer que a energia de outra pessoa preencha seus buracos negros. Rav Ashlag, fundador do Kabbalah Centre, disse que a dependência da aprovação dos outros para se sentir bem é a semente da incerteza, depressão e tristeza. Rav Ashlag disse também que esta necessidade é uma parte essencial de quem somos, mas que a única maneira de verdadeiramente satisfazê-la é gerá-la internamente.
Não se engane, a busca de aprovação é a maior droga que já foi inventada. Buscar a energia de outras pessoas para se preencher lhe dá um barato temporário, mas uma queda duradoura. E para quem estiver pensando “não tem ninguém na minha vida de quem eu dependa para receber aprovação”, provavelmente você está buscando aprovação de tudo e de todos.
A conclusão é a seguinte – a Luz vê tudo que você faz. Você não precisa que a mente humana reconheça sua grandeza. Está registrado lá em cima. Se você está fazendo o bem, seguindo sua bússola interna, receberá o bem em retorno.
Ofereça
a você a energia perfeita para começar a reconhecer o quanto você pode ser dependente da aprovação dos outros. Use esta oportunidade para praticar se retirar de si mesmo e perceber quantas ações e palavras você gasta buscando a validação dos outros. O momento em que você percebe quanto depende dos outros para seu próprio senso de valor próprio é o momento em que começa a ter os seus próprios sentimentos de autovalidação.

Shefa brachot! (Abundância de benções)

 

 

10º DIA - O Essencial

Nesta porção da Torá temos a revelação dos 10 mandamentos no Monte Sinai. É uma passagem tão bonita e intensa, que quase passa despercebido um pequeno, mas muito importante diálogo, onde o Eterno pede para Moisés orientar o povo a não fazer deuses de prata e de ouro.
Os deuses de prata e de ouro, referidos aqui no texto, são muito mais do que esculturas de idolatria à outros deuses. Na verdade, a idolatria mencionada aqui se refere ao dinheiro, jóias, bens materiais, fama e posição social, que desde aquela época são o foco e a razão de viver de muitos de nós.
Que possamos então nesta semana começar a abandonar o que não serve mais. Precisamos nos perguntar se estamos cultuando a prata e o ouro, ou se estamos em busca do essencial, aquilo que realmente traz alegria à nossa vida.

Shefa brachot! (Abundância de benções)

Beijos de Amor e Alegria na Luz do Nome Inefável.

 

11º DIA - Travessia

Que possamos celebrar um momento muito especial, deflagrado pela lua cheia de Áries, que acontecerá entre os dias 08 e 09 de Abril de 2009. Em termos astrológicos, o momento é exatamente o mesmo em que tivemos na Torá o relato do grande milagre da abertura do mar.
A Cabala explica que não se trata somente de algo que aconteceu ha 3.500 anos, mas de uma possibilidade, que se repetem todos os anos, de removermos o poderoso Faraó que habita cada um de nós. É ele que nos mantém escravos de comportamentos circulares e repetitivos. Um ser que habita dentro de nós e que jamais se contenta, precisando se comparar com tudo e com todos.
Nessa semana ganhamos força extra para nos livrarmos dos mecanismos desse Faraó e realizar a travessia para uma nova existência. Mas para isso precisamos caminhar juntos, concentrados em trocar a reclamação pelo agradecimento, a crítica pelo elogio e o orgulho pela humildade.

Shefa brachot! (Abundância de benções)

Beijos de Amor e Alegria na Luz do Nome Inefável.

 

 

12º DIA - Estamos vivendo anos de intenso saber.

A Física Quântica junto com o filme O Segredo vem conscientizando as consciências de todos aqueles que desejam respostas para a vida sobre a enorme importância que é o processo de pensamento, ou o pensar!

Cabalisticamente, a culpa de sairmos tanto do pensamento do “aqui e agora” é do ego (sempre ele). Nosso ego – nossa natureza negativa nos convence que é melhor esquecer o presente e viajar para o passado para reviver sensações que achamos que nunca sentiremos de novo ou viajar para o futuro e viver de fantasias e sonhos.

A Cabala concorda plenamente que a imaginação é um poderoso imã, que quando sonhamos com o futuro estamos atraindo tudo que as imagens mentais processam.
Mas, não devemos esquecer que o futuro nada mais é do que o resultado daquilo que fazemos no presente! Se trabalharmos perfeitamente com o “aqui agora”, plantando o que queremos colher, com certeza nosso futuro será muito melhor do que podemos imaginar com nossas mentes.

Então se queremos um futuro melhor e um passado bem resolvido temos que focar no aqui agora, resolvendo nossas pendências espirituais e kármicas e procurando transformar cada vez mais nossa natureza negativa, e claro, apreciando nossos presentes que mal enxergamos. A Apreciação é um imã que atrai mais bênçãos!
E o teste é brigar com nosso ego e ficarmos aqui, agora. Shimon

Shefa brachot! (Abundância de benções)

Beijos de Amor e Alegria na Luz de Shefá.

 

13º DIA - Em Confiança!!!

Tudo o que possuímos além da nossa necessidade, na verdade não nos pertence, mas nos é dado em confiança pelos outros.

Uma das realidades mais difíceis de encarar para aqueles com uma visão espiritual do mundo e com um conhecimento do Criador é: “Por que existem alguns que possuem muito mais do que outros?

”A realidade é que se todos os recursos do mundo fossem distribuídos igualmente entre os habitantes da terra, muitos dos problemas que afligem nosso mundo não existiriam. Por que então não é assim? Por que o Criador não “distribui a riqueza” equitativamente?

Esta é uma questão muito complexa, com muitas possibilidades de resposta.

Mas há um ensinamento, que deve influenciar como tratamos aquilo que temos em excesso, além das nossas necessidades.

Os cabalistas ensinam que cada um de nós merece receber aquilo de que necessita.
Infelizmente, às vezes, por diferentes motivos – talvez uma ação negativa ou algo semelhante – bloqueamos o fluxo do Criador em nossa direção. Mesmo assim, o sustento vem. Ele é concedido a uma outra pessoa, que na realidade não o merece, mas supostamente o obtém em confiança. Ela deve guardá-lo, e eventualmente devolvê-lo ao seu verdadeiro dono.

Este é um ensinamento poderoso, com muitas ramificações, e abordaremos uma delas. Quando vemos ou sabemos sobre uma outra pessoa que esteja necessitada, devemos compartilhar com ela, não com a consciência de que lhe estamos dando aquilo que é nosso. Antes, devemos compreender que provavelmente estamos devolvendo este excesso a seu verdadeiro dono.

À medida que continuamos a compartilhar com os outros desta forma,construímos para nós maiores canais para a abundância do Criador, que assim nos abençoa com um potencial contínuo de compartilhar infinitamente.

*Fonte: Kabbalah Group/Original: Michael Berg

Shefa brachot! (Abundância de benções)

Beijos de Amor e Alegria na Luz de Shefá

 

14º DIA - Luz Maior

 

"Um dos ensinamentos espirituais mais inspiradores é o de que a Luz maior está sempre oculta sob um véu mais escuro. Isto significa que durante os tempos mais obscuros estamos mais próximos de grandes momentos, da Luz maior.

Sempre que nos encontrarmos em uma situação difícil ou de escuridão, devemos lembrar-nos de que esta situação é simplesmente um véu sobre a grande Luz que se encontra disponível para nós.

Esta consciência é também uma das ferramentas mais fortes para romper o véu escuro e revelar a Luz maior. .." (Michael Berg)

Shefa brachot! (Abundância de benções)

Beijos de Amor e Alegria na Luz de Shefá

Voltar