Sintonia Saint Germain
 

chama violeta  Pager

 

 
O Vajrasattva e os Cinco Buddhas do Dhyani e suas Consortes

Vajrasattva e Vajramanani 
 
Vajrasattva é do mesmo reino que os cinco buddhas do dhyani, representa o aspecto da mente de todos os buddhas. Significa o "diamante”, ou "ser adamantino”. Vajrasattva é o chefe de todos as deidades budistas, no contexto de ser, é esse que incorporou dentro dele mesmo, todas as cinco ordens de Buddha. O Estudo das outras cinco deidades do dhyani pode ser encontrado em: Os Cinco Buddhas do Dhyani.
Os seguidores do buddhismo tibetano são praticantes tântricos, é adequado usar um meio tântrico de purificação pois este é mais poderoso e purifica as faltas cometidas em qualquer das categorias de votos. Para muitos de nós, a purificação através da recitação de Vajrasattva é familiar. É também um dos meios mais poderosos de purificação. Esta purificação deve ser praticada com "as quatro forças". "A força da fonte do poder de purificação" é a confiança total sobre Vajrasattva com fé convencida, calor devocional e concentração unidirecionada. Devemos ver Vajrasattva como a corporificação do poder de purificação de todos os buddhas, que possui sabedoria perfeita, poder infinito e compaixão incessante. "A força do arrependimento sincero" é o forte sentimento de remorso para quaisquer faltas que se tenha cometido, conhecidas ou desconhecidas, como se um veneno tivesse sido consumido. "A força de prometer não repetir a falta novamente" é a determinação, das profundezas do próprio coração, de que agora, mesmo ao custo da própria vida, não cometeremos mais essa falta novamente. Se tivermos um arrependimento forte e sincero, e a determinação de não cometer faltas novamente, isto gradualmente nos forçará a mudar a direção de nossa vida. "A força da purificação" é a recitação e meditação reais de Vajrasattva. Devemos visualizar Vajrasattva e Vajramanani acima do topo de nossa cabeça e repetir preces e mantras com fé e devoção. Com arrependimento sincero pelos errados passados e um compromisso total de não repeti-los, devemos rogar por sua bênção, que é o poder de purificação. Devemos sentir devoção e abertura, e a compaixão e poder de Vajrasattva e Vajramanani. Então, como resultado, o poder de purificação desce do corpo de Vajrasattva na forma de um néctar fluindo, lavando todas as impurezas de nosso corpo, fala e mente, sem deixar qualquer traço. Sinta-se certo de que você está então livre de todas as máculas. Finalmente, preencha seu corpo com o néctar e o sentimento de paz, êxtase e abertura, o poder abençoador de Vajrasattva. A confusão e purificação não são apenas um ato, de contar à pessoa envolvida, mesmo que seja um lama, de que (por exemplo) "Eu te odeio" ou "Eu não te odeio", mas é a meditação e a experiência das quatro forças experienciadas a partir das profundezas de nosso coração.
O atingimento da felicidade e da iluminação é o resultado de manter os votos. Lembre-se que manter um voto é fazer um forte compromisso de viver apenas com os atos adequados e virtuosos, e de evitar os atos errados e ruins. Deste modo, criaremos bom karma ou, no caso do tantra, samaya puro, e isto resultará na felicidade, sabedoria e estado búddhico, a fonte de toda alegria.
Os princípios masculino e feminino são representados pela união de uma divindade com sua consorte, como Vajrasattva e Vajramanani. Todas estas imagens aqui apresentadas representam a não-dualidade da mente desperta, a união indissociável dos meios hábeis (método) com a sabedoria, do grande êxtase da clara luz com a vacuidade, do relativo com o absoluto, do samsara com o nirvana. Não há qualquer relação com a delusão de desejo ou cobiça, um dos venenos da mente dualista do relativo desequilibrado em polaridades.
Muitas divindades tântricas são representadas em união com consortes, e estas formas são conhecidas como yab-yum (pai-mãe). Sua união representa a inseparabilidade de relativo e absoluto, manifestação e vacuidade, meios hábeis e sabedoria. Também simbolizam a união do que são chamadas energias "solar" e "lunar", os dois pólos de energia sutil que flui no sistema de energia sutil do corpo humano, que é chamado "mandala interior". Quando os circuitos negativo e positivo são juntados em um circuito elétrico, uma lâmpada pode ser acesa. Quando as energias solar e lugar do sistema de energia sutil de um ser humanos são levados ao estado de não-dualidade, que é sua condição inerente e latente desde o início, o ser humano pode se tornar iluminado. Do mesmo modo, no sistema filosófico taoísta chinês, yin e yang são vistos como dois princípios de energia que fundamentalmente inseparáveis e mutuamente interdependentes constituintes de uma unidade totalmente integrada; assim também, as energias solar e lunar são vistas como fundamentalmente não-duais desde o início. Sua unidade fundamental é simboliza pela sílaba sânscrita Evam, que também é um símbolo do princípio yab-yum.
O tantrismo lida diretamente com nossas experiências. As divindades pacíficas, visualizadas como sedutoras e atraentes, podem ajudar a enfrentar o desejo, enquanto a visualização de divindades coléricas pode ajudar a transformar a agressão. As impurezas e delusões não precisam serem abandonadas no tantra porque podemos utilizá-las no caminho. Visualizar divindades iradas desperta mais emoções do que visualizar divindades pacíficas. As divindades iradas podem ser bem intimidadoras. Costumam estarem adornadas com crânios, estarem vestidas com peles de animais e coisas assim. Porém, tudo isso deve ser compreendido simbólicamente e é necessário compreender o que esses símbolos representam em cada prática específica.

Divindades pacíficas
Todos as diferentes divindades tântricas são símbolos do estado desperto iluminado que aparecem a fim de beneficiar os seres sencientes. As divindades em união (yab-yum) não simbolizam o desejo; elas manifestam o estado desperto iluminado para curar o desejo. Do mesmo modo, as divindades iradas não são uma expressão de raiva ou ira, mas ao invés disso são uma expressão intensa da compaixão última que se manifestou de forma comum e ilusória a fim de domar os seres sencientes impossíveis de serem domados de outra forma. As divindades em união representam o estado desperto não-objetivo, a compaixão última. A natureza desta compaixão é a vacuidade. O princípio feminino do estado desperto iluminado é a vacuidade e o princípio masculino é a compaixão ou método. Estes dois juntos, expressos pela união das divindades, simbolizam o estado não-dual.
As Divindades "yidams" pacíficos estão associados à transmutação por "processo", isto é, a confusão é pacificada e gradativamente se desgasta. Na prática da nossa identificação com determinada divindade, temos de desenvolver uma consciência que nos ativa de volta à nossa verdadeira natureza, partindo da nossa natureza confusa ou desequilibrada. Essa percepção é representada pelas divindades pacíficas. Precisamos à transmutação por "processo", de todos os obstáculos que encontramos no caminho.
Neste Site colocaremos em prática a sabedoria do ensinamento de Divindades pacíficas, como o são Vajrasattva e os Cinco Buddhas do Dhyani e seus respectivos complementos ou consortes, no Relógio Cósmico.
 
Relógio Cósmico:
Nele Vajrasattva e sua consorte são colocados no cone azul da hora 6, do quadrante da emoção, da mãe, das ondinas...etc.
O cone é formado pelo chacra da Base e Vajrasattva e sua consorte se colocam às 6:30, na câmara Secreta do Coração na cor Diamante, com todo o ensinamento.
 
 
Vairochana e Consorte 
 
Relógio Cósmico: 
Nele Vairochana e sua consorte são colocados no cone rosa da hora 7, do quadrante da emoção, da mãe, das ondinas...etc.
O cone é formado pelo chacra da Alma e Vairochana e sua consorte se colocam às 7:30, na cor Branca , com todo o ensinamento.
 
 
Akshobhya e Consorte 
 
Relógio Cósmico: 
Nele Akshobhya e sua consorte são colocados no cone amarelo da hora 8, do quadrante da emoção, da mãe, das ondinas...etc.
O cone é formado pelo chacra do Plexo Solar e Akshobhya e sua consorte se colocam às 8:30, na cor Azul , com todo o ensinamento.
 
 
Ratnasambhava e Consorte 
 
Relógio Cósmico: 
Nele Ratnasambhava e sua consorte são colocados no cone azul da hora 9, do quadrante do físico, do Espírito Santo, dos Gnomos...etc.
O cone é formado pelo chacra do Coração e Ratnasambhava e sua consorte se colocam às 9:30, na cor Amarela , com todo o ensinamento.
 
 
Amitabha e Consorte 
 
Relógio Cósmico: 
Nele Amitabha e sua consorte são colocados no cone rosa da hora 10, do quadrante do físico, do Espírito Santo, dos Gnomos...etc.
O cone é formado pelo chacra da Terceira Visão e Amitabha e sua consorte se colocam às 10:30, na cor Vermelha , com todo o ensinamento.
 
 
Amoghasiddhi e Consorte 
 
Relógio Cósmico: 
Nele Amoghasiddhi e sua consorte são colocados no cone amarelo da hora 11, do quadrante do físico, do Espírito Santo, dos Gnomos...etc.
O cone é formado pelo chacra da Garganta e Amoghasiddhi e sua consorte se colocam às 11:30, na cor verde , com todo o ensinamento.
 



Volte a Homepage. Back