chama violeta  Pager
07.20.02
   
 
 
 
Estudo das Cores da Aura

Aura Lilás - Os mundos da Magia

   Amante do sonho, do devaneio, da fantasia - essa é a melhor descrição do indivíduo de aura lilás. Ele vê primeiro os elementos mutantes da forma, da aparência e da configuração que constituem os desenhos. Em seguida, decompõe e reorganiza esses desenhos para criar novas estruturas e conceitos.

Para ver o que ele vê, é preciso conseguir descobrir formas de pássaros nas nuvens e gnomos nos jardins. Com uma capacidade exacerbada de perceber outras dimensões com seu olho interior, ele está sempre aberto para explorar realidade alternativas - realidades que existem na ficção científica e nos sonhos.

O desafio, para ele, consiste em permanecer em nossa realidade, física e emocionalmente. Viver no mundo da fantasia é muito mais fácil do que conviver com as exigências materiais. Ele sente necessidade de desenvolver novas formas de usar as imagens, idéias e temas que vivencia nos sonhos e fantasias para poder criar uma rica trama de novas lendas, fábulas e arte para os outros.

ABORDAGEM DA REALIDADE FÍSICA:
ADAPTANDO-SE À TERRA.

O indivíduo de aura lilás tende a ser menos físico que os demais. Carrega consigo muitas vezes um ar de fragilidade, e não lida muito bem com as exigências da realidade concreta. Em casos extremos, pode até parecer pálido e doentio. Como tende muitas vezes a ficar em ambientes fechados, longe do sol causticante e da chuva gelada, termina por ser prejudicado em termos de saúde. Aprecia a natureza, mas tem dificuldade em desfrutar, na prática, desta realidade. Em termos abstratos, consegue apreciar a beleza da terra, das plantas, dos insetos, do ciclo da vida. Porém, em termos reais, considera arar uma actividade suja, que as plantas são fontes de manchas, e que insetos podem ser repelentes. Vive mais uma descrição artística e mítica da natureza do que sua realidade.


O indivíduo de aura lilás parece devanear pela vida fora, fazendo planos, mas sem se dar ao incômodo de procurar saber o que seria necessário para realizá-los. Tem boas intenções sobre a nova decoração da sala de visitas, no entanto, o trabalho de ir até a loja, escolher a cor e trazer as tintas para casa é tão titânico, que ele pode até deixá-las num canto sem nunca se mexer para pintar as paredes. Na hora em que está disposto a pintar, já enjoou da cor e tem de começar todo o processo outra vez. É realmente mais fácil somente idealizar sobre a nova decoração da sala de visitas.

Costuma ter pouca percepção do relacionamento entre tempo e espaço.
Corre o risco de assumir compromissos que não cumpre. Na verdade não pretende ser desatento; só é meio difícil para o lilás - como uma espécie de defasagem - perceber a diferença entre a fantasia e o real.
Parece atado a um mundo de sonho permanente, e se souber se conectar a esta fonte de inspiração sem se afogar nela, será um transformador social através de suas obras. Para o indivíduo de aura lilás pode ser inclusive doloroso viver nesse mundo físico. A realidade pode ser sempre um "duche de água fria", com suas exigências e limitações. Quando os amigos e a família ficam insistentes demais, exigindo que se torne mais responsável e confiável, ele pode ficar furioso; precisa de um pouco de tempo e de solidão para ficar com suas fantasias e sonhos.

ATITUDES MENTAIS:
INTUIÇÃO EXPERIMENTAL

O indivíduo de aura lilás tem uma capacidade intelectual intuitiva, em contraposição ao pensamento lógico, ordenado e sequencial comum aos indivíduos de aura das outras cores mentais do espectro. Faz conexões a esmo entre os suprimentos disponíveis no depósito de informações de seu cérebro. Essa disposição para brincar com idéias, formas de raciocínio e imagens mentais é a fonte de sua criatividade. Representa sua vontade de ser aceito além do que é aceito pela sociedade como um "limite normal" para a criatividade, abrindo novos horizontes para se estudar e explorar.

Esse indivíduo sempre parte da premissa "por que não?". Como vive num mundo de sonhos e fantasias, não tem suas perspectivas limitadas por considerações de tempo, espaço, materiais e orçamento. Para ele, tudo é possível. Esse processo mental é semelhante, mas não igual, ao indivíduo do indivíduo de aura violeta. A aura violeta sente que precisa dar vida a uma idéia, produto ou conceito que lhe seja prático. Já o ser de aura lilás meio que se perde em termos de tornar as coisas práticas. Para a aura lilás, a idéia já é, por si só, interessante. A parte mais difícil da vida do indivíduo de aura lilás é ter de agir de acordo com as idéias que proliferam em seu cérebro. Ele precisa trabalhar diligentemente para capturar o mistério das idéias, precisa se esforçar e suar a camisa para traduzi-las em realidade.

Ele tem o dom de perceber mentalmente a configuração global do pensamento criativo ao mesmo tempo que manipula e altera as várias partes para testar vários resultados. É capaz de deslocar o foco, movimentando-o à vontade, dos mínimos detalhes ao quadro geral. É uma habilidade complexa que muitas vezes passa despercebida numa sociedade que valoriza tanto o pensamento pragmático.

O indivíduo de aura lilás percebe a configuração no espaço. Isso significa que, depois de vê-la com o olho interior, não tem a menor necessidade de reproduzi-la. Na verdade, seu maior desafio é continuar trabalhando para que sua concepção mental corresponda ao que consegue reproduzir de maneira tangível.

O mais frequente é o uso das próprias habilidades através da palavra escrita. Quando concebe mentalmente a resolução de um problema, ele se traduz em um conjunto de palavras, de rica textura sensorial e musical. Este indivíduo tem a linguagem do poeta combinada à paixão e dedicação de um artista.

Sua capacidade é basicamente visual, mas as imagens que visualiza são experiências de fato multissensoriais. Assim sendo, mesmo quando ele é um artista visual talentoso, não consegue transmitir todas as dimensões sensoriais de suas idéias e raciocínios. Então volta sua atenção para sua habilidade na escrita, desenvolvendo um amplo vocabulário para poder descrever nos mínimos detalhes as nuances de emoção e sentimento, além de pessoas, lugares e experiências. Através da palavra escrita, faz com que o fantástico pareça real, dando-lhe profundidade, perspectiva e dimensão.

CONSTITUIÇÃO EMOCIONAL:
ÉTER E FANTASIA

O indivíduo de aura lilás é o que menos tem os pés no chão, tanto física como emocionalmente. Parece entrar nesta realidade distanciado de qualquer coisa que possa dar estrutura ou significado à sua vida. Tem dificuldade em criar e manter um sistema de valores e crenças, e muitas vezes adota as diretrizes de outras personalidades mais fortes que a sua.

Passa pela vida como se realmente não pertencesse a este mundo, como se não fizesse parte desta vida. Acredita ser difícil considerar qualquer lugar como seu verdadeiro lar. Sente-se fora de sintonia e tende a se defender com um véu opaco. Pode inclusive ter problemas ao lidar com pessoas muito dominadoras, pois elas afetam o delicado equilíbrio de sua identidade energética.

Como é o sonhador do espectro, se compraz com todas as formas de estados auto-induzidos de consciência alterada. Devaneia constantemente, parando às vezes no meio de uma frase, arrebatado pela ação que vê em sua mente. As palavras proferidas por outras pessoas podem ligar um interruptor na cabeça do indivíduo de aura lilás, liberando um dilúvio de imagens internas. Nós, do lado de fora, não temos consciência de sua televisão interna, mas, para ele, o que está acontecendo em seu interior é tão rico que a realidade exterior parece supérflua.

Além dos devaneios, ele tem uma vívida imaginação que intensifica sua propensão à auto-sugestão (hipnose), à visualização criativa, sonhos comuns e pesadelos. Sendo tão sensível física e emocionalmente, torna-se também propenso à clariaudiência, à clarividência e à clarisciência (capacidade para "saber" de algo sem razões aparentes). Como não coloca restrições aos mecanismos internos de sua mente, está aberto a experiências como a psicografia e outros fenômenos extrasensoriais.

Em nível emocional é extremamente sensível e se envolve muito mais com a idéia arquetípica do romance do que com a pessoa propriamente dita. Mas, em verdade, não é uma pessoa muito acessível a níveis de afeto.. Ama, mas não expressa seu carinho da forma convencional que as pessoas esperam que se faça. As atividades mundanas, monótonas, da vida quotidiana, o entediam e levam-no a fugir para dentro de si mesmo, em busca de renovação mental e espiritual. Parte dele está sempre distante, inacessível para os outros que gostariam de ter uma interação íntima e calorosa. Deve tomar cuidado, pois tende a emaranhar-se muito nas complexidades psíquicas das pessoas com quem se envolve, e tal coisa limita a potência de sua sensibilidade criativa. Mas, em geral, tal coisa só ocorre com as pessoas a quem verdadeiramente ama, pois, normalmente, o indivíduo lilás é quase que totalmente ausente no que tange a "se incomodar" com as energias emocionais alheias.

Ele já nasce com uma imaginação fértil e com a capacidade de criar uma realidade nova e diferente; se nem sempre é prática, é sempre interessante, proporcionando estímulo para a inteligência de todos.

ESTILO SOCIAL:
BUSCA PELOS MUNDOS INTERNOS

Socialmente, o indivíduo de aura lilás tende a ser solitário, temendo que os outros não entendam a sua maneira de viver. Ele vive mais no mundo de sua mente, e é raro expressar o que sente no íntimo com medo de ser ridicularizado, criticado ou isolado. Assim sendo, muitas vezes desenvolve comportamentos compensatórios destinados a fazer os outros pensarem que ele está se adaptando às normais sociais, quando, na verdade, só está interessado em criar uma aparência "aceitável e normal" que proteja sua autonomia. Por exemplo: muitas pessoas de aura lilás parecem estar prestando atenção quando, na verdade, sua mente está a milhões de quilômetros dali.

Não costuma se enredar em lutas de ego e poder, como o indivíduo de aura violeta. Não dá muito valor a muitas coisas que a maioria das pessoas considera "importantes e necessárias" à vida. Quer reconhecimento pelo mérito artístico de seu trabalho, mas não busca o estrelato ou a posição de centro das atenções. Tem disciplina ao trabalhar suas idéias, mas não age em função do reconhecimento social.
Cria porque não tem outra escolha: as idéias o usam como canal de expressão, e assim o aura lilás se sente "possuído" pelo impulso primal de criar.

O indivíduo de aura lilás tem laços frouxos com a própria família e alguns poucos amigos íntimos. Como o indivíduo de aura índigo, não tem muita necessidade do estímulo emocional vindo de fora, pois ambos vivem perfeitamente bem no "mundo de dentro". Envolve-se ativamente com sua vida mental: obras de arte, escritos, pesquisas, e todas as formas de expressão psicológica e artística. Tais obras são seus reais amigos, filhos, a própria natureza.

A expressão sexual é uma área onde ele pode agir de acordo com o mundo que vê em sua fantasia. Está entre os indivíduos mais criativos sexualmente, entre os mais dispostos a experimentar, embora costume impor limites à exploração sexual, limites esses que ele não ultrapassa e que têm por base sua necessidade de segurança física e psicológica, e não são necessariamente os mesmos de uma sociedade inibida.

Num relacionamento onde se sinta física e emocionalmente seguro, ele é criativo, inventivo e ousado, disposto a se entregar fisicamente a fim de que sua mente fique livre para vagar entre as vibrações astrais. É como se ele se esgueirasse para fora desta realidade quando está fazendo amor, sabendo que o outro e seu próprio corpo vão acabar por lembrá-lo de voltar.

PODER PESSOAL E ESTILO DE LIDERANÇA:
REJEITANDO PAPÉIS DE PODER EGÓICO

O indivíduo de aura lilás não é um líder. Ele usa todos os recursos que possui para manter o rumo certo da própria vida; assumir a responsabilidade de mostrar aos outros o que devem fazer é demais para ele. Não dispõe de recursos físicos nem emocionais para se responsabilizar por ninguém, nem perante ninguém, mas essa mentalidade solitária é perfeita para o propósito de sua vida - que é visitar outras realidades, observando e relatando o que vê, ouve e vivencia. Papéis de liderança tradicional reduziriam sua capacidade de passar, mentalmente, para outros domínios da realidades.

A própria necessidade de ficar sozinho é a fonte de poder do indivíduo lilás. Ter a coragem de ser diferente, de buscar outras ambições que não envolvem poder temporal e humano. Como é geralmente criticado (sobretudo pela família) por não ser tão "ambicioso e agressivo", desenvolve a capacidade mnemônica de se camuflar.

OPÇÕES FINANCEIRAS:
APRENDENDO A LIDAR COM DINHEIRO

O indivíduo de aura lilás se trata de uma criança quando a questão envolvida é dinheiro. Tem pouca ou nenhuma noção do dinheiro como conceito, ou medida de sucesso. Se tem o dinheiro necessário para as coisas que julga essenciais, fica muito feliz, mas não é voltado para a busca do poder nesse sentido; o que ele busca é o reconhecimento de sua obra, embora possa ter acessos de materialismo temporário, sobretudo para fugir da dependência da família. Mas a verdade é esta: após independer-se, o lilás típico volta-se para a realização de sua obra, mas não se liga muito no retorno material da mesma, e precisa ser recordado de como é importante "querer" dinheiro, pois a predisposição natural de indivíduos com esse tipo de aura é uma vida financeira meio complicada. Uma chave para a solução deste problema seria aliar-se a pessoas com maior habilidade neste setor em específico.

ESCOLHA PROFISSIONAL:
SENSIBILIDADE A SERVIÇO DE UM TODO MAIOR

O indivíduo de aura lilás se sai melhor em situações em que consegue sustentar-se com o dispêndio mínimo de tempo e massa cinzenta. Dar aulas, de preferência a alunos de nível universitário, em que a exigência emocional é menor, é o que ele faz com prazer. Outros escolhem a pintura, muitos optam pela literatura ou algum outro trabalho criativo que possa proporcionar-lhes uma estrutura básica, um lugar onde vão regularmente, mas que lhes deixe tempo livre para pensar e devanear - tempo para explorar sua fonte de criação. Prazo de entrega e responsabilidade assumida com editores e alunos podem lhe dar o entusiasmo necessário para terminar seus trabalhos.

Se sai bem nas artes cênicas, sobretudo como roteirista teatral, pois este campo lhe proporciona uma forma de visitar outras realidades de maneira natural e autêntica. Quando escreve, transporta-se para aquela realidade; quando interpreta, incorpora o personagem; quando dança, torna-se a própria música. Tem talento também para trabalhar com figurinos, cenários, e produção de teatro.

O indivíduo de aura lilás pode se tornar um excelente terapeuta em centros de tratamento que estimulem criatividade e experimentação.

Trabalha muito bem com arteterapia e com gente que teve alguma experiência paranormal, ou como focalizador no contexto de crescimento espiritual, mas funciona mais pela abordagem alternativa do que pela convencional, pois as situações clínicas tradicionais são rígidas e limitadas demais para seu estilo tranquilo e místico.

ESPIRITUALIDADE:
OS REINOS DA MAGIA

O conceito de espiritualidade do indivíduo de aura lilás é uma mescla de fantasia mística, mágica, de histórias do Rei Arthur com as sociedades utópicas do futuro relatadas em obras de ficção científica. Ele não jura fidelidade a nenhum conjunto de crenças espirituais; investiga livremente qualquer noção ou conceito que prenda sua atenção.

Deus, para ele, é uma idéia que, na teoria, está disposta a investigar, porém qualquer coisa que restrinja ou limite os parâmetros de sua realidade - o rígido conceito de Deus na ética judaico-cristã, por exemplo - ele ignora ou despreza, mas em geral apenas ignora. Qualquer sistema de crenças baseado em normas, regras ou códigos de comportamento é um anátema para ele. Em contrapartida, os movimentos que defendem o conceito de liberdade individual o atraem muito. Ele quer a oportunidade de encontrar o Ser Superior à sua própria moda e na hora conveniente para ele.

Como é muito voltado para o lado feminino, "yin", da natureza, dá muito valor à beleza. Um lugar de culto artisticamente belo é uma excelente fonte de inspiração espiritual. Música, vitrais, sinos, incenso, vestimentas e velas, tudo isso se transforma em estimulantes visuais, auditivos e cinestésicos que lhe permite "partir", entrar livremente no estado onírico que prefere à realidade. Nesse estado, a realidade do culto e a urdidura de sua própria mente se sobrepõem, criando uma experiência religiosa ou espiritual rica em textura, cor, sons e imagens. As visões podem ser impressionantes, mas não são necessariamente "místicas" no sentido tradicional, pois ele não está disposto a dar a ninguém, nem mesmo a "Deus", qualquer poder sobre ele.

O indivíduo de aura lilás compreende melhor o mundo da magia e dos Merlins, onde relações estritas de causa-e-efeito passam por mudanças alquímicas, alterando tudo o mais no processo. Isso não implica necessariamente no envolvimento com magia e feitiçaria (às vezes até sim) - só que compreende de maneira intuitiva as forças primárias destas práticas. Mas lhe falta a disciplina suficiente para ser um grande místico ou um curandeiro. O conceito de "Deus" é nebuloso e indefinido para ele, embora tenha experiências fantásticas que poderiam ser consideradas como "estar perto de Deus". Como é um livre pensador, reluta muito em dizer que encontrou a "resposta definitiva", ou "o Deus de todos".

Na tentativa de encontrar sua família espiritual, ele tenta de tudo, e varia muito. Despende muito tempo procurando grupos ou ideologias que dêem apoio e estímulo a seu processo intuitivo natural. Infelizmente, todo sistema tem uma estrutura de crenças ou dogmas fundamentais aos quais ele não se dispõe e não consegue se adaptar - e este é o seu dom mais precioso e sua prisão mais restrita.


Volte a Homepage.