chama violeta  Pager

Chomdendema Sherabkyi P'haröltuchinpe Nyingpo


Chomdendema Sherabkyi P'haröltuchinpe Nyingpo

GYA GAR KE TU BHAGAVATI PRAJNAPARAMITA HRIDAYA.

BÖ KE TU CHOM DEN DE MA SHE RAB KYI P'HA RÖL TU CHIN PE NYING PO.

BAM PO CHIG GO, DI KE DAG GI T'HÖ PA DU CHIG NA, CHOM DEN DE GYEL PÖ KHAB CHA GÖ P'HUNG PO RI LA, GE LONG GI GEN DÜN CHEN PO TANG, JANG CHUB SEM PE GEN DÜN CHEN PO TANG T'HAB CHIG TU SHUG TE, DE’I TS'HE CHOM DEN DE ZAB MO NANG WA SHE JA WE CHÖ KYI NAM DRANG KYI TING NGE DZIN LA NYOM PAR SHUG SO.

YANG DE’I TS'HE, JANG CHUB SEM PA SEM PA CHEN PO P'HAG PA CHEN RE ZIG WANG CHUK SHE RAB KYI P'HA RÖL TU CHIN PA ZAB MÖ CHÖ PA NYI LA NAM PAR TA SHING, P'HUNG PO NGA PO DE DAG LA YANG RANG SHIN GYI TONG PAR NAM PAR TA’O.

DE NEI, SANG GYE KYI T'HÜ, TS'HE DANG DEN PA SHA RI’I BÜ JANG CHUB SEM PA SEM PA CHEN PO P'HAG PA CHEN RE ZIG WANG CHUK LA DI KE CHE ME SO:

RIG KYI BU RIG KYI BU GANG LA LA SHE RAB KYI P'HA RÖL TU CHIN PA ZAB MÖ CHÖ PA CHE PAR DÖ PA DE JI TAR LAB PAR JA.

DE KE CHE ME PA DANG, JANG CHUB SEM PA SEM PA CHEN PO P'HAG PA CHEN RE ZIG WANG CHUK GI TS'HE DANG DEN PA SHA RA DWA TI’I BU LA DI KE CHE ME SO:

SHA RI’I BU, RIG KYI BU RIG KYI BU MO GANG LA LA SHE RAB KYI P'HA RÖL TU CHIN PA ZAB MÖ CHÖ PA CHE PAR DÖ PAR DÖ PA DEN DI TAR NAM PAR TA WAR JA TE, P'HUNG PO NGA PO DE DAG KYANG RANG SHIN GYI TONG PAR NAM PAR YANG DAG PAR JE SU TA’O.

ZUG TONG PA’O. TONG PA NYI ZUG SO. ZUG LE TONG PA NYI SHEN MA YIN NO. TONG PA NYI LE KYANG ZUG SHEN MA YIN NO. DE SHIN DU, TS'HOR WA DANG, DÜ SHE DANG, DÜ CHE DANG, NAM PAR SHE PA NAM TONG PA’O.

SHA RI BU, DE TAR CHÖ T'HAM CHE TONG PA NYI DE, TS'HEN NYI ME PA, MA KYE PA, MA GAG PA, DRI MA ME PA, DRI MA DANG DREL WA ME PA, DRI WA ME PA, GANG WA ME PA’O.

SHA RI’I BU, DE TA WE NA, TONG PA NYI LA ZUG ME, TS'HOR WA ME, DÜ SHE ME, DU CHE NAM ME, NAM PAR SHE PA ME, MIG ME, NA WA ME, NA ME, CHE ME, LÜ ME, YID ME, ZUG ME, DRA ME, DRI ME, RO ME, REG JA ME, CHÖ ME DO.

MIG GI KHAM ME PA NE YID KYI KHAM ME, YID KYI NAM PAR SHE PE KHAM KYI BAR DU YANG ME DO.

MA RIG PA ME, MA RIG PA ZE PA ME PA NE GA SHI ME, GA SHI ZE PE BAR DU YANG ME DO.

DE SHIN DU DUG NGEL WA DANG, KÜN JUNG WA DANG, GOK PA DANG, LAM ME, YE SHE ME, T'HOB PA ME, MA T'HOB PA YANG ME DO.

SHA RI’I BU, DE TAR WE NA, JANG CHUB SEM PA NAM T'HOB PA ME PE CHIR, SHE RAB KYI P'HA RÖL TU CHIN PA LA TEN CHING NE TE, SEM LA DRIB PA ME PE, TRAK PA ME DE. CHIN CHI LOG LE SHIN TU DE NE NYA NGEN LE DE PEI TAR CHIN TO.

DÜ SUM DU NAM PAR SHUG PE SANG GYE T'HAM CHE KYANG SHE RAB KYI P'HA RÖL TU CHIN PA LA TEN NE, LA NA ME PA YANG DAG PAR DZOG PE JANG CHUB TU NGÖN PAR SANG GYE SO.

DE TA WE NA, SHE RAB KYI P'HA RÖL TU CHIN PE NGAG, RIG PA CHEN PÖ NGAG, LA NA ME PE NGAG, MI NYAM PA DANG NYAM PE NGAG, DUG NGEL T'HAM CHE RAB TU SHI WAR CHE PE NGAG, MI DZÜN PE NA DEN PAR SHE PAR JA TE, SHE RAB KYI P'HA RÖL TU CHIN PE NGAG ME PA:

GATE GATE PARAGATE PARASAMGATE BODHI SVAHA

SHA RI’I BU, JANG CHUB SEM PA SEM PA CHEN PÖ DE TAR SHE RAB KYI P'HA RÖL TU CHIN PA ZAB MO LA LAB P'HAR JA’O.

DE NE, CHOM DEN DE TING NGE DZIN DE LE SHENG TE, JANG CHUB SEM PA SEM PA CHEN PO P'HAG PA CHEN RE ZIG WANG CHUK LA LEG SO SHE JA WA JIN NE, LEG SO LEG SO, RIG KYI BU DE DE SHIN NO.

RIG KYI BU, DE DE SHIN TE, JI TAR KHYÖ KYI TEN PA DE SHIN DU SHE RAB KYI P'HA RÖL TU CHIN PA ZAB MO LA CHE PAR JA TE, DE SHIN SHEG PA NAM KYANG JE SU YI RANG NGO.

CHOM DEN DE KYI DI KE CHE KA CHEL NE, TSE DANG DEN PA SHA RA DWA TI’I BU DANG, JANG CHUB SEM PA SEM PA CHEN PO P'HAG PA CHEN RE ZIG WANG CHUK DANG, TAM CHE DANG DEN PE KHOR DE DANG, HLA DANG, MI DANG, HLA MA YIN DANG, DRI ZAR CHE PE JIG TEN YI RAG TE, CHOM DEN DE KYI SUNG PA LA NGÖN PAR TÖ DO.

PH'AG PA SHE RAB KYI P'HA RÖL TU CHIN PE NYING PO DZOG SO.

Sintonia Saint Germain


Chomdendema Sherabkyi P'haröltuchinpe Nyingpo

Na língua da Índia: Bhagavati Prajnaparamita Hridaya. Na língua do Tibet: Chomdendema Sherabkyi P'haröltuchinpe Nyingpo. O primeiro verso diz:

Assim eu ouvi. Certa vez, o Bhagavan [Buddha] estava em Rajagriha, sobre a montanha Gridhrakuta, com uma grande assembléia de monges e uma grande assembléia de bodhisattvas. Naquele momento, o Bhagavan entrou na concentração que expressa o ensinamento chamado "Iluminação Profunda". No mesmo momento, o nobre Avalokiteshvara Bodhisattva Mahasattva [ser da iluminação, grande ser], enquanto praticava a profunda Perfeição da Sabedoria, viu os cinco agregados [forma, sensações, percepções, vontade, consciência] como sendo vazios em sua própria natureza.

Então, pelo poder do Buddha, o venerável Shariputra disse ao nobre Avalokiteshvara Bodhisattva Mahasattva: Como deve treinar o filho ou filha de nobre linhagem que deseje praticar a profunda Perfeição da Sabedoria?

Assim ele disse e o nobre Avalokiteshvara Bodhisattva Mahasattva respondeu o seguinte ao venerável Shariputra: Ó Shariputra, um filho ou filha de nobre linhagem que deseje praticar a profunda Perfeição da Sabedoria deve ver deste modo: os cinco agregados são completamente vazios em sua própria natureza. A forma é vacuidade; a vacuidade é a forma. A vacuidade não é outra senão a forma; a forma não é outra senão a vacuidade. Assim também são a sensação, a percepção, a vontade e a consciência. Deste modo, Shariputra, todos os fenômenos são vacuidade, sem características. Não são produzidos nem interrompidos. Não são impuros nem puros. Não têm diminuição nem aumento.

Portanto, Shariputra, na vacuidade não há forma, sensação, percepção, vontade, consciência; não há olho, ouvido, nariz, língua, corpo, mente; não há cor, som, odor, sabor, tato, fenômeno; não há [reinos dos sentidos, desde] o reino da visão até o reino da mente; não há o reino dos fenômenos, não há o reino da consciência; não há [elos de surgimento dependente, desde] a ignorância e o fim da ignorância até a velhice-e-morte e o fim da velhice-e-morte; não há [as verdades nobres sobre] o sofrimento, a origem, a cessação, o caminho; não há sabedoria, nem atingimento ou não-atingimento. Portanto, Shariputra, como os Bodhisattvas não têm atingimento, eles permanecem na Perfeição da Sabedoria.

Como não há obscurecimento na mente, não há medo. Transcendendo as visões falsas, eles atingem o nirvana completo. Todos os Buddhas dos três tempos, através da Perfeição da Sabedoria, despertaram totalmente para a iluminação insuperável, completa e perfeita. Portanto, o mantra da Perfeição da Sabedoria, o mantra do grande conhecimento, o mantra insuperável, o mantra inigualável, o mantra que alivia todo sofrimento, deve ser conhecido como a verdade, pois não é falso. O mantra da Perfeição da Sabedoria é proclamado deste modo:

GATE GATE PARAGATE PARASAMGATE BODHI SVAHA

Deste modo, Shariputra, um Bodhisattva Mahasattva deve treinar na profunda Perfeição da Sabedoria.

Então, o Bhagavan levantou de sua concentração e elogiou o nobre Avalokiteshvara Bodhisattva Mahasattva, dizendo: Bem dito, bem dito, ó filho de nobre linhagem! Assim é, ó filho de nobre linhagem, assim é! Deve-se praticar a profunda Perfeição da Sabedoria assim como você disse e todos os Tathagatas irão se regozijar.

Quando o Bhagavan disse isto, o venerável Shariputra, o nobre Avalokiteshvara Bodhisattva Mahasattva, toda a assembléia e o mundo de devas, humanos, asuras e gandharvas se regozijaram e louvaram as palavras do Bhagavan.

Isto completa o Coração da Venerável Perfeição da Sabedoria.

Sintonia Saint Germain


INDICE